Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Outubro 16 2010

 

Pormenor do painel Ourique, de Jorge Colaço (1868-1942), concluído em 15 de Julho de 1922.

 

Painel do Pavilhão Carlos Lopes evocativo da célebre Batalha de Ourique, travada entre cristãos e muçulmanos no ano de 1139 (cf. http://pt.wikipedia.org/wiki/Batalha_de_Ourique).

 

Jorge Colaço concebeu ainda um outro painel de azulejos alusivo a esta batalha, que se encontra no actual Centro Cultural Rodrigues de Faria, em Esposende, uma antiga escola escola primária inaugurada em 1934 e encerrada em 2001 (cf. http://pt.wikipedia.org/wiki/Centro_Cultural_Rodrigues_de_Faria).

 

Em ambos os painéis, note-se como um dos elementos centrais é a cruz que evoca a expressão In Hoc Signo Vinces e a suposta visão milagrosa testemunhada pelos cavaleiros cristãos, uma imagem que sincreticamente remete para episódio semelhante supostamente testemunhado pelo imperador Constantino (272-337) no ano de 312, antes da batalha (cf. http://pt.wikipedia.org/wiki/Batalha_da_Ponte_M%C3%ADlvio) em que derrotou o imperador Maxêncio (282-312).

 

 

© MAFLS


Outubro 14 2010

 

Pires decorado com pintura a stencil (chapa recortada) sob o vidrado.

 

Note-se como esta decoração geometrizante evoca semelhantes tendências na Art Nouveau, tais como a obra de C. R. Mackintosh (1868-1928), na Escócia, e a obra de alguns expoentes do movimento Wiener Werkstätte, na Áustria.

 

Nos recortes interiores, note-se ainda como se verifica um fechamento do ângulo inferior esquerdo entre cada sequência de três ângulos abertos.

 

Estas variantes decorativas quase imperceptíveis verificam-se também em algumas peças da fábrica alemã Schramberg, como é possivel constatar em http://mfls.blogs.sapo.pt/43735.html. Nesse prato, é o ponto da decoração central que muda de localização e desaparece, acentuando a sugestão do movimento em espiral.

 

Recorde-se que alguns dos técnicos da fábrica Schramberg trabalharam na FLS, particularmente durante as décadas de 1920 e 1930.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Outubro 12 2010

 

Bule com decoração serigrafada sobre o vidrado.

 

Esta peça integrava o conjunto da produção da FLS que se encontrava ainda à venda, na loja da Avenida da Liberdade, em Lisboa, durante o período de falência da empresa. 

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Outubro 10 2010

 

Prato de cozinha, com cerca de 32 cm. de diâmetro, apresentando o motivo Estátua estampado a preto sob o vidrado.

 

Note-se como a estampa central continua a apresentar pequenas variantes relativamente a todas as outras já aqui reproduzidas, nomeadamente quanto à vegetação de fundo e a alguns pormenores do cavalo.

 

Note-se ainda como, apesar da enorme área de estampagem disponível, os elementos decorativos da imagem central foram reduzidos, e estão simplificados, relativamente a estampas que são certamente mais antigas, como esta: http://mfls.blogs.sapo.pt/65879.html.

 

 

© MAFLS


Outubro 09 2010

 

Jarra da Olaria de Alcobaça, Lda., OAL, decorada com desenhos de groselhas, folhas e ramos desse arbusto, sob o vidrado, e retoques e filete a ouro sobre o vidrado brilhante.

 

Esta decoração, bem distinta da produção tradicional das décadas de 1930 e 1940 e rara na produção das décadas subsequentes, ilustra claramente a abertura da empresa às exigências do mercado de exportação, sem contudo abdicar de uma decoração manual especializada.

 

Como se pode verificar nas imagens reproduzidas abaixo, a decoração com groselhas foi bastante popular, estando as bagas, em geral, especialmente associadas à decoração Art Nouveau. Poderá ver mais alguns exemplos de cerâmica europeia e americana decorada com desenhos de bagas aqui: http://blogdaruaonze.blogs.sapo.pt/78448.html e aqui: http://blogdaruaonze.blogs.sapo.pt/87433.html.

 

Fundada em 1927, a empresa OAL veio a encerrar em 1984.

 

 

Prato de sobremesa em porcelana, marcado "IT / UNO / "Favorite" / Bavaria", pintado à mão sobre o vidrado, fora da fábrica, e assinado e datado "B. Curke / 1914", na decoração.

 

Esta fábrica alemã, sobre a qual poucas referências existem, exportava no início do século XX para os EUA, onde a empresa Burley & Tyrrell Co., de Chicago, era uma das suas importadoras e distribuidoras.

 

 

Cafeteira em porcelana pintada à mão sobre o vidrado, fora da fábrica, assinada "K. R.", na base, e assinada e datada " K. Ryan / 14", no interior da tampa. A peça encontra-se marcada "Victoria / Austria", na base. Esta empresa foi fundada em 1883 na então localidade austríaca de Altrohlau, que hoje integra a República Checa e é conhecida como Stará Role, tendo sido nacionalizada em 1945.

 

A pintura de peças brancas de porcelana vidrada, fora das suas fábricas de origem, foi comum durante todo o século XX. Em Portugal é vulgar encontrarem-se peças dos serviços brancos da Vista Alegre, pintadas sobre o vidrado, que foram cozidas em muflas exteriores à fábrica e apresentam assinaturas que não correspondem aos artistas da VA. 

 

 

© MAFLS


Outubro 08 2010

 

Alfinete de lapela do Grupo Desportivo da Fábrica de Loiça de Sacavém.

 

O Grupo Desportivo da FLS foi fundado em 1936, na sequência da dinamização corporativista dos tempos livres dos trabalhadores. Essa dinamização foi institucionalizada através da criação, em 1935, pelo Estado Novo, da Fundação Nacional para a Alegria no Trabalho (FNAT), de que o actual INATEL é sucessor.

 

A partir da década de 1940, para além do GD, a FLS contou também com uma Secção Recreativa e Cultural, estando estas instituições integradas no Centro de Alegria no Trabalho número 15, da FNAT.

 

Imagem cedida por Carlos Caria.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Outubro 06 2010

 

Pormenor do painel A Ala dos Namorados, de Jorge Colaço (1868-1942), concluído em 15 de Julho de 1922.

 

Painel do Pavilhão Carlos Lopes evocativo da famosa Ala dos Namorados, que  combateu na batalha de Aljubarrota (1385) e constituíu uma das alas na formação do quadrado (cf. http://www.fundacao-aljubarrota.pt/?idc=186). O episódio desta batalha é tratado por Luís de Camões (c. 1524-1580) no canto IV do seu poema épico Os Lusíadas (1572).

 

O denodo e voluntarismo dos cavaleiros portugueses que lutavam pela honra e por um ideal, e também pela sua dama, viria ainda a ser abordado e consagrado por Camões no canto VI do mesmo poema, onde se relatam as façanhas dos Doze de Inglaterra, alegadamente ocorridas no reinado de D. João I (1358-1433; rei, 1385-1433).

 

Em 1993 formou-se um grupo musical com o nome Ala dos Namorados: http://www.lastfm.pt/music/Ala+dos+Namorados/+videos/+1-OCQdP3LmUg8.

 

 

© MAFLS


Outubro 04 2010

 

 

Prato com estampa fotográfica de Teófilo Braga (1843-1924; presidente do Governo Provisório da República, 1910-11; presidente da República, 1915), sob o vidrado, e filetagem, com as cores da República, sobre o vidrado.

 

No verso, apresenta incisas as marcas "Coroa / Granito / 7" e o número "22" carimbado a verde sobre o vidrado.

 

Um prato similar, com o mesmo formato e a mesma decoração, encontra-se reproduzido no catálogo da exposição Porta Aberta às Memórias, Segunda Edição, realizada em 2009 no MCS.

 

 

Bilhete postal cromolitografado com a imagem de D. Manuel II (1889-1932; rei, 1908-1910). Edição Bertrand.

 

 

© MAFLS


Outubro 03 2010

 

Bule vidrado, no exterior e no interior, executado recentemente, mas em data desconhecida, pelo ceramista Eugénio Coelho (datas desconhecidas). Exemplar único, número 9050, assinado com as iniciais EC.

 

Note-se como a forma, a alusão ao ferro forjado retorcido na asa e a combinação de diferentes materiais, com a aplicação de metal na tampa, remetem claramente para aspectos da gramática pós-modernista que se tem vindo a desenvolver desde a década de 1970 e atingiu o seu auge nas décadas de 1980 e 1990.

 

Veja dois outros exemplares de cerâmica pós-modernista em: http://blogdaruaonze.blogs.sapo.pt/tag/p%C3%B3s-modernismo.

 

© MAFLS


Outubro 02 2010

 

Prato estampado a verde, sob o vidrado, com o motivo Chorão (Willow).

 

Tal como acontece com o motivo Estátua, o motivo Chorão apresenta estampas com diversas variantes de composição, quer na produção portuguesa, quer na produção estrangeira. Essas mesmas variantes podem ser constatadas na própria produção da FLS, como documenta uma análise comparada desta imagem e daquela que foi apresentada em http://mfls.blogs.sapo.pt/28145.html.

 

O prato aqui reproduzido ilustra todos os elementos considerados característicos do motivo inglês (Willow) original, o qual pretensamente narra os amores proibidos entre a filha de um mandarim e um jardineiro.

 

A partir do centro da decoração, e em espiral da esquerda para a direita, encontra-se o pavilhão onde a filha do mandarim foi encerrada, o pagode do mandarim, o pavilhão do jardim, uma vedação para separar os amantes, o chorão, a ponte onde se encontram as três personagens – a filha, o jardineiro e o pai que os persegue, o barco onde os dois primeiros escaparam, a ilha onde se refugiaram, a casa que foi incendiada e os dois amantes que renasceram das cinzas como aves.

 

Para alguma informação complementar sobre certos aspectos relacionados com este motivo pode consultar o seguinte texto: http://blogdaruaonze.blogs.sapo.pt/23504.html.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 13:09

mais sobre mim
Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
15

19
21

25
27
29



pesquisar
 
subscrever feeds