Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Julho 31 2011

 

Azulejo com decoração Art Nouveau, correspondente ao motivo 14-G, em relevo e vidrado monocromático.

 

Apesar de esta peça não se encontrar marcada no tardoz, exemplares semelhantes constam do catálogo de Preços Correntes da Real Fabrica de Louça em Sacavém - Azulejo, de Agosto de 1910, 

 

Veja-se um exemplar semelhante, noutra cor, e uma página desse catálogo em: http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/azulejo+motivo+14.

 

© MAFLS


Julho 30 2011

 

Prato raso em faiança, com cerca de 24,8 cm. de diâmetro, da fábrica Secla, Caldas da Rainha, reproduzindo um desenho original de Hansi Staël (1913-1961).

 

Esta artista húngara veio para Portugal depois da II Grande Guerra, tendo colaborado com a Secla, a partir de 1950, na criação de inúmeras peças. Entre as suas criações para a produção industrial, contam-se os originais que deram origem à série Motivos Portugueses, à qual pertence este exemplar.

 

Desenvolvida entre 1953 e 1956, a série ilustra essencialmente cenas do quotidiano da Nazaré e das regiões rurais próximas das Caldas da Rainha, reproduzidas quer em travessas quer em pratos.

 

Nos pratos, conhecem-se exemplares que variam entre os 10 (em versões adaptadas e simplificadas, como o motivo P. 337, que apresenta um pescador da Nazaré estilizado) e os 37,5 cm. de diâmetro, e nas travessas conhecem-se versões ovais, com 43 cm. de largura, e versões "rectangulares de cantos arredondados", com cerca de 22,8 cm. de largura.

 

O livro A Nova Cerâmica das Caldas (1989), de Alberto Pinto Ribeiro (1921-1989), reproduz dois pratos semelhantes a este. Um na página 77, com indicação de ser o prato original pintado por Hansi Staël, outro na página 111, ao qual é atribuída a data de 1956.

 

Ao contrário do que acontece com este exemplar, é normal a maioria dos pratos apresentarem no verso dois conjuntos de iniciais – as da autora, H. S., e as do/a pintor/a que reproduziu o desenho original.

 

Veja-se uma assinatura original de Hansi Staël em: http://mfls.blogs.sapo.pt/60571.html

 

 

© MAFLS


Julho 29 2011

 

Painel de azulejos existente no antigo edifício do Matadouro Municipal de Sobral de Monte Agraço, representando, tal como os restantes três, cenas rurais da Estremadura. 

 

Datado também de 1940, este painel encontra-se assinado A. R. Santos (datas desconhecidas).

 

Fotografias de Arlindo Lopes.

 

 

© MAFLS


Julho 27 2011

 

Pequeno prato, com decoração estampada sobre o vidrado e filetagem a dourado, evocativo do Alentejo.

 

Conhecem-se outros exemplares representando diferentes províncias de Portugal.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Julho 25 2011

 

Leiteira, do último período de produção da FLS, com decoração floral estampada sobre o vidrado.

 

Na marca, notem-se as inscrições apropriadas para exportação destinada a países anglófonos e francófonos.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Julho 24 2011

 

Grande centro de mesa reticulado, ou fruteiro, em faiança da Olaria de Alcobaça, com 32 cm. de diâmetro e quatro pés, pintado à mão sob o vidrado.

 

Segundo o opúsculo Faiança de Alcobaça (1997), de Jorge Pereira de Sampaio, as iniciais correspondentes ao pintor, A. S., tanto são atribuíveis a Alfredo Santos (datas desconhecidas) como a Armando Saraiva Mendes (datas desconhecidas).

 

De qualquer modo, atente-se na notável pintura dos motivos vegetais a azul cobalto e do conjunto central de flores.

 

Vejam-se peças de outras fábricas, com abas recortadas, em: http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/abas recortadas.

 

 

© MAFLS


Julho 23 2011

 

Bule do último período de produção da FLS com decoração sobre o vidrado.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Julho 21 2011

     

 

"D. Nicéforo Fernandes ocupava a cabeceira da mesa e, modo de honrar meu pai, sentando o Dr. Temudo à direita, sentou-me a mim logo à sua esquerda, antes dele. De modo que eu ouvia, quer quisesse quer não, espremendo-me quanto podia, o cavaco que iam entretecendo os dois. E para mim, que nunca tal pensara, esse cavaco, sem me alhear do arroz de cabidela e do peixe de barrica, que as vareiras traziam à feira de S. Mateus, servido ali à farta em travessas de Sacavém, enlodado de molhanga, foi banqueteando por sua vez a minha curiosidade."

 

Passagem retirada do romance Cinco Reis de Gente (1948), de Aquilino Ribeiro (1885-1963), cuja acção decorre na Beira Alta durante a última década do século XIX.

 

Ao longo deste romance, onde se efectua uma revisitação da infância do autor, Aquilino revela particular enlevo pela cerâmica, fazendo referências ao azul de Saxe, à figura de um cão em faiança, à cerâmica de Delft e à obra de Palissy.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Julho 19 2011

 

Prato de parede pintado à mão, sob o vidrado, com o motivo Quinta.

 

Datado de 1956, apresenta as iniciais A. S. M., que correspondem ao/à pintor/a.

 

publicado por blogdaruanove às 21:01

Julho 17 2011

 

Painel de azulejos existente no antigo edifício do Matadouro Municipal de Sobral de Monte Agraço. Datado de 1940 representa, tal como os restantes, cenas rurais da Estremadura. 

 

A fachada do edifício, recentemente recuperada, apresenta quatro painéis figurativos ao alto, assinando A. C. Mourinho (António Castro Mourinho, 1892-1963) este e outro painel, e A. R. Santos (Abel Reis Santos, datas desconhecidas) os restantes dois.

 

Apresenta ainda um painel ao baixo, sobre a entrada, com a legenda "Matadouro Municipal / 1940" e o brasão da "Vila do Sobral do Monte Agraço".

 

Fotografias de Arlindo Lopes.

 

 

© MAFLS


mais sobre mim
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
14

18
20
22

26
28



pesquisar
 
subscrever feeds