Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Maio 31 2013

 

Pequena jarra em faiança, da Olaria de Alcobaça, decorada com o motivo Athenea.

 

Conforme se tem vindo a ilustrar (http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/decora%C3%A7%C3%A3o+tipo+athenea), três fábricas portuguesas produziram motivos muito semelhantes entre si – a Elpa, a FLS e a OAL, tendo esta última indicado claramente nas suas peças a denominação do motivo, como se pode verificar abaixo.

 

Da produção das fábricas de Alcobaça conhecem-se ainda peças de toucador, nomeadamente pequenas cestas, que ostentam decoração monocromática verde no exterior e apresentam alças, ou outros complementos, em vime ou palhinha.

 

Note-se como, apesar de por vezes o fundo dourado ser semelhante, as representações florais, e as suas tonalidades, permitem distinguir a produção de cada uma das fábricas.

 

 

© MAFLS


Maio 29 2013

© MCS/CDMJA

 

Página do catálogo de Preços Correntes da Real Fabrica de Louça em Sacavém - Azulejo, de Agosto de 1910, reproduzindo o motivo número 400-A.

 

Veja-se a recente publicação de um azulejo com este motivo aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/244631.html.

 

Cortesia do Museu de Cerâmica de Sacavém / Centro de Documentação Manuel Joaquim Afonso.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Maio 27 2013

 

Prato fundo, de sopa, decorado a aerógrafo no rebordo e com o motivo 1217 estampado ao centro, sob o vidrado.

 

Note-se como este motivo aplicado sobre o formato Espiga apresenta um desenho incipiente e naïf das ceifeiras alentejanas, traduzindo aquilo que de menos interessante surge em algum do design da FLS.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Maio 26 2013

 

Jarra em faiança da fábrica Aleluia, de Aveiro, com cerca de 25,2 cm. de altura, apresentando três diferentes animais estilizados pintados à mão sobre stencil (chapa recortada). Cada um destes animais repete-se duas vezes na superfície central da jarra.

 

Estas tonalidades e este vidrado semi-mate evocam uma imagem de marca característica da fábrica inglesa Poole Pottery nas décadas de 1950 e 1960, muito embora tal decoração figurativa não seja característica dos motivos preferidos pelos designers da empresa na época, nomeadamente de Alfred Burgess Read (1898-1973), que favoreciam uma decoração repetitiva e minimalista, sim, mas baseada mais em linhas e motivos geométricos.

 

 

© MAFLS


Maio 25 2013

 

Azulejo com decoração correspondente ao motivo 400-A estampada a castanho sob o vidrado, apresentando no tardoz as inscrições "SACAVEM" e "19", em relevo.

 

As pequenas manchas pretas correspondem a imperfeições da pasta que afloraram sob o vidrado, o qual também evidencia imperfeições ilustradas na parte inferior da imagem.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Maio 23 2013

 

Caixa em faiança apresentando decoração com pintura manual policromática, e dourado, sobre o vidrado.

 

Como foi possível observar anteriormente (http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/decora%C3%A7%C3%A3o+tipo+athenea), quer a FLS quer a Elpa, de Alcobaça, produziram cerâmica com motivos semelhantes a este. Para além destas duas empresas, também uma outra fábrica de Alcobaça, a OAL, produziu um motivo semelhante, que designou por Athenea.

 

Esta peça, com cerca de 17,8 x 19,5 x 13,2 cm., apenas apresenta a marca manuscrita a dourado que se reproduz abaixo. Ao contrário do que se poderia pensar, a marca não corresponde a uma fábrica mas sim à antiga loja Vicrilana, que comercializava vidros, cristais e outros artigos decorativos na Rua da Palma, em Lisboa.

 

Hoje em dia ainda subsiste uma loja com esta designação, no número 203 da Avenida Almirante Reis, em Lisboa.

 

Atendendo às particularidades florais e cromáticas que distinguem os motivos executados em cada uma das fábricas, é muito provável que esta caixa tenha sido executada na Elpa.

 

 

© MAFLS


Maio 21 2013

© MCS/CDMJA

 

Detalhe de uma página cromolitografada de catálogo para azulejos de arquitrave da FLS.

 

Esta página impressa na Litografia do Bolhão, Porto, com motivos característicos da transição entre os estilos Art Nouveau e Art Déco, será datável da década de 1910.

 

O MCS/CDMJA editou vários marcadores de livros reproduzindo alguns dos azulejos fabricados pela FLS, podendo ver-se aquele que reproduz este motivo aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/78999.html#comentarios.

 

Cortesia do Museu de Cerâmica de Sacavém / Centro de Documentação Manuel Joaquim Afonso.

 

© MAFLS


Maio 19 2013

 

Figura de elefante apresentando vidrado semi-mate escorrido com microcristais.

 

Esta escultura surge na tabela de preços de Novembro de 1945 sob o número 183 e a referência "Elefante" ao preço de 141$00 para "Colorido s/ ouro", surgindo ainda nas tabelas de Maio de 1951, ao preço de 162$00 para "Côres Mates ou coloridos s/ ouro", e de Maio de 1960, ao mesmo preço para "Branco colorido s/ ouro".

 

O exemplar desta última tabela existente no CDMJA/MCS regista que o peso da peça é de 930 gramas.

 

Elefantes com este formato estiveram em produção provavelmente até à década de 1980, sendo esta uma das esculturas de animais mais comercializadas pela FLS. Um outro exemplar com diferente vidrado pode ser visto numa fotografia onde aparece conjuntamente com outras figuras de animais que também tiveram uma produção prolongada no tempo: http://mfls.blogs.sapo.pt/176503.html

 

Registe-se ainda que a FLS lançou na mesma época uma outra figura de elefante, indicada na tabela de 1945 sob o número 186, "Elefante c/ tromba pendida", ao preço de 105$50.

 

Dois outros exemplos de vidrado monocromático aplicado em peças com o formato 183 podem ser vistos aqui: http://modernaumaoutranemtanto.blogspot.pt/search/label/Elefante.

 

Fotografias da peça por Hector Castro, coleccionador e proprietário deste exemplar, a quem se agradece a cedência das imagens.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Maio 18 2013

 

Figura de lavradeira minhota, em terracota pintada, apresentando a inscrição "Lembrança de Viana do Castelo" na base. Com cerca de 12,8 cm. de altura esta peça não ostenta qualquer marca.

 

Ao contrário do que acontece com peças das áreas de Alcobaça e Coimbra, esta apresenta-se modelada em barro vermelho, sendo possivelmente originária da região de Barcelos.

 

Estas figuras com trajos regionais eram extremamente populares durante o terceiro quartel do século XX e surgiam com frequência não só em lojas de recordações como em algumas feiras.

 

© MAFLS


Maio 17 2013


Azulejo com cerca de 8 x 15,9 x 1,1 cm. apresentando faixa intermédia relevada e a inscrição SACAVEM no tardoz.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

mais sobre mim
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

14
16

20
22
24

28
30


pesquisar
 
subscrever feeds