Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Maio 02 2013

© Clive Gilbert


O INÍCIO DE UMA CARREIRA NA FLS (IX)

 

Divagando de novo sobre o conteúdo de alguma documentação que possuo nos meus arquivos, passo a apresentar a tradução para português de uma carta cuja cópia encontrei recentemente.

 

Dirigida a um certo Robert, provavelmente Robert Hunter Reynolds (1820-1872), segundo consegui apurar (http://reynolds.com.es/Los Rey-PMont.htm), esta carta de William John Howorth (1823-1881) documenta bem quer a complexidade do sistema de venda de louça na primeira década de actividade da FLS quer o papel que o próprio William John, muitas vezes esquecido em função do estatuto atribuído a seu irmão John Stott, desempenhava nos primórdios da fábrica.

 

"Lisboa, 1 de Fevereiro de 1865

 128, Rua da Prata

 

Meu caro Robert,

 

Dado que ultimamente não o tenho visto, tomo agora a liberdade de lhe pedir o favor de me remeter o pagamento do envio de Louça [com maiúscula e em português no original] efectuado em 4 de Março de 1864 [no valor de] Rs. 16.490. Gostaria também que me remetesse a soma que possa ter apurado da Louça [idem] enviada à sua consignação. Caso ainda tenha alguma quantidade que possa ser vendida, ficaria muito grato se contactasse J. Luis Simões e lhe vendesse a Louça [idem]. Se ele não a aceitar, agradeceria que ma devolvesse.

 

Tenho um carregamento de carvão e argila a pagar, razão pela qual lhe faço este pedido.

 

Com os melhores cumprimentos para a sua família,

 

Deste seu

 

W. J. Howorth"

 

© Clive Gilbert

© MAFLS


Achei muito curiosa a utilização da palavra "Louça" por duas vezes, no meio do texto em inglês desta carta e dei por mim a constatar que realmente não é fácil encontrar um termo inglês equivalente. "Ware” é muito mais abrangente e "earthenware" refere-se em geral a material mais grosseiro, tratando-se aqui de faiança fina de Sacavém. Por outro lado, “ tableware” é mais restrito "china" aplica-se à porcelana, o “stoneware” tem provavelmente uma composição diferente...
Será que alguma destas palavras se pode considerar equivalente a “louça”?
Independentemente deste pormenor linguístico, acho muito interessante a divulgação de documentos como este. Há sempre nomes, datas, assuntos, que fazem parte da história da nossa indústria e assim passam a ser conhecidos.
Cumprimentos
Maria Andrade a 10 de Maio de 2013 às 22:17

Tem razão. Eu próprio, enquanto bilingue, ou mesmo enquanto native speaker, tenho dificuldade em encontrar vocábulo inglês equivalente à palavra louça. Como termo genérico, poderia dizer que pottery seria aceitável, mas mesmo esta designação apresenta problemas, obviamente.
É bom saber que tais documentos despertam algum interesse. Talvez isso me convença a publicar um assento de nascimento de um dos filhos que o Barão Howorth de Sacavém teve com Maria Margarida Pinto Bastos, para complementar o post que o autor do MAFLS acabou de publicar sobre os Howorth.
Clive Gilbert a 16 de Maio de 2013 às 02:44

mais sobre mim
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

14
16

20
22
24

28
30


pesquisar