Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Julho 26 2010

 

Prato fundo (de sopa) de C. & J. Shaw, Inglaterra, estampado com o motivo comercializado em Portugal sob a designação Estátua e popularmente conhecido como Cavalinho.

 

Conjuntamente com os motivos Chorão (Willow) e Faisão (Asiatic Pheasant), este foi um dos mais populares motivos da louça estampada  do nosso país. Curiosamente, tal não se verificou em Inglaterra, onde as fontes e os livros da especialidade lhe dedicam muito pouca atenção. Curiosamente, ainda, pouco se sabe sobre a empresa C. & J. Shaw, que poderia muito bem produzir essencialmente para exportação e cuja louça surge com alguma frequência nos antiquários de Portugal.

 

Relativamente à produção, e reprodução, nacional do motivo Estátua (cf. http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/motivo+est%C3%A1tua), notem-se a qualidade e a nitidez desta gravura, bem como o facto de a estátua equestre não apresentar o braço direito levantado, como acontece nas gravuras da Fábrica das Devezas, da FLS e de Massarelos.

 

 

© MAFLS


Boa noite.

Parabéns, tópico bastante interessante, sobre o motivo que mais identificou a Fábrica de Sacavém em minha opinião.

Gostaria só de referir que a própria fábrica de Sacavém começa por produzir peças com o motivo em causa e de estampa bastante semelhante ao do prato exposto no período pré-Real Fábrica de Sacavém, e mais tarde com estampa Estátua que usualmente encontra-se nas nossas casas.

Desta forma, a fábrica de Sacavém possui diferentes estampas do motivo Estátua, e se focarmos o pormenor do braço direito levantado, este não se verifica em desenhos de peças de período anterior à Real Fábrica de Sacavém, aparecendo apenas em peças do final do século XIX para a frente.
MercadorVeneziano a 27 de Julho de 2010 às 00:13

Grato pelo comentário.
É um facto que a FLS apresentou, até aos últimos anos de produção, diversas variantes do motivo Estátua, bem como uma imagem que inicialmente não apresentava o cavaleiro de braço estendido.
Sobre o assunto e sobre essas variantes será em breve publicado novo artigo.
Saudações.

MAFLS
blogdaruanove a 29 de Agosto de 2010 às 00:07

boa noite,

Tenho vários pratos de cavalinho que creio são do principio do século XX ou anteriores, pela cor eu diria que foram fabricados por C & J Shaw.
Sei que são muitos antigos por pertencerem á madrinha de minha avó que faleceu em 1935 e lhe deixou entre otras coisas eses pratos.
Gostaria de saber se possivel qual o valor aproximado de um prato de esses

Muito obrigada

Paula
Paula Silva a 12 de Dezembro de 2010 às 19:52

Bom dia, "Paula Silva".

Embora a actividade deste espaço seja enquadrável no serviço público gratuito, não é, de modo algum, enquadrável na consultadoria ou avaliação de antiguidades, gratuita ou remunerada.

Para esse fim existem as empresas de avaliação, as casas de antiguidades e as casas leiloeiras. Existem também as publicações especializadas como, por exemplo, aquelas que são editadas pela Milller´s ou pelo Antique Collectors' Club.

Contudo, devo sublinhar o que é óbvio - num serviço de jantar, chá e café, os pratos são as peças produzidas em maior quantidade. Logo, um prato terá muito menos valor que uma manteigueira, um bule, uma travessa ou uma terrina.

Neste caso particular, encontramo-nos, também, perante uma peça estampada. Logo, uma peça, produzida mecanicamente, em maiores quantidades, e a custos inferiores aos de uma peça com filetagem ou pintura manual.

Abrindo uma excepção na área de consultadoria e avaliação, diria que uma prato destes que apareça no mercado poderá surgir com um preço que variará entre os cinco e os vinte euros. E isto para uma peça em óptimas condições, sem esbeiçadelas, cabelos ou manchas. Qualquer preço acima deste valor será especulativo.

Mas há uma máxima que permanece válida - no mercado de antiguidades, como noutros, uma peça valerá sempre aquilo que outrem estiver disposto a pagar por ela, mesmo que o preço pedido seja especulativo ou ridiculamente alto.

Saudações.

MAFLS
blogdaruanove a 16 de Dezembro de 2010 às 11:57

gostaria de comprar conjunto de loica com o motifo estatua (cavalinho) por favor informe onde posse comprar. reproducao claro.
marianne De Sousa a 11 de Agosto de 2010 às 03:00

Marianne:

Ainda hoje (e quando digo hoje, devo sublinhar que hoje mesmo os vi à venda...) alguns hipermercados e grandes superfícies comercializam, em Portugal, pratos com esta decoração, embora não seja fácil encontrar serviços completos.

Saudações.
blogdaruanove a 29 de Agosto de 2010 às 00:12

Bons dias,

Estes exemplares parecem-me magníficos , eu pessoalmente tenho uns quantos pratos destes.
Gostaria se possível saber qual é a sua antiguidade e se têm algum valor para coleccionistas uma vez que a minha família sempre os teve como muito valiosos.


Paula Silva a 14 de Dezembro de 2010 às 11:40

Como tive oportunidade de referir, a informação sobre esta empresa é escassa.

No entanto, poder-se-á afirmar com alguma segurança que a produção deste prato terá ocorrido no século XIX.

Poder-se-á ainda especular que terá ocorrido na primeira metade desse século, considerando a cor da estampa, uma variante cromática da cor que em inglês se designa por "puce".

Essa cor foi utilizada com frequência em peças cerâmicas, pintadas à mão e de alta qualidade, do final do século XVIII e princípio do século XIX, como se pode comprovar em peças da fábrica Duesbury Derby, e outras.

Saudações.

MAFLS

Bom dia MAFLS,


Agradeço imenso a sua resposta.

Realmente a minha família tinha razão , são bastante antigos. Muito mais do que eu pensava.

Quanto ao valor monetário era mera curiosidade porque o valor que realmente tem é o carinho que se pode sentir por ter algo tão antigo de familiares que já não existem.

Saudaçoes,

Paula Silva
Paula Silva a 16 de Dezembro de 2010 às 12:44

Olá, tenho 2 pratos cavalinho antigos, pode-me dizer quanto valem?
Sandra a 22 de Maio de 2013 às 15:20

Boa noite.

Sobre avaliação de peças, remetê-la-ia para comentários que já foram realizados precisamente neste artigo.

Acrescentaria que a questão, tal como a coloca, não permitiria qualquer avaliação das suas peças, mesmo que tal fosse um serviço prestado neste espaço.

Será necessário saber se as peças são nacionais ou estrangeiras, produzidas pela FLS ou por outras fábricas, se são do século XIX ou XX, qual o seu estado de conservação... Enfim, concluiria repetindo o que já foi escrito anteriormente - os pratos, rasos ou de sopa, são as peças mais vulgares de qualquer serviço. Do mesmo modo, em Portugal, o motivo Estátua é sinónimo do mais vulgar dos motivos.

Saudações.

MAFLS

mais sobre mim
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
13
15
17

19
21
23

25
27
29
31


pesquisar