Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Junho 26 2010

 

Chávena de chá e pires em pasta azul, formato Avenida, com decoração geométrica a ouro e esmalte sobre o vidrado.

 

 

© MAFLS


Fevereiro 08 2010

 

Pormenor de um antigo painel publicitário da FLS existente nas imediações do edifício da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital.

 

O formato Avenida não só apresentou decoração geométrica repetitiva e minimalista, conforme exemplos anteriormente reproduzidos (http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/formato+avenida), mas também, como aqui se verifica, decoração floral inspirada na gramática desenvolvida por Clarice Cliff (1899-1972) em Inglaterra.

 

Um exemplar de pires e chávena do formato Avenida com esta decoração, mas noutras cores, foi exibido na exposição Portuguese Ceramics in the Art Deco Period, realizada em 2005.

 

© MAFLS


Janeiro 28 2010

 

Chávena de chá e pires, formato Avenida, com decoração geométrica a ouro e esmalte, correspondente ao motivo 989, sobre o vidrado.

 

Conforme já foi referido, os formatos Avenida e Estoril representam o paradigma máximo do estilo Art Déco na produção de serviços da FLS.

 

Como neste caso, em qualquer dos formatos é comum encontrar-se o aspecto modernista das peças acentuado por decoração geométrica, traduzindo um minimalismo repetitivo que ilustra perfeitamente o espírito derivado da Bauhaus e dos movimentos Art Nouveau da Áustria e da Escócia.

 

 

© MAFLS


Setembro 16 2009

 

Manteigueira com tampa, de um serviço de chá formato Avenida, em pasta marfim decorada a azul e platina.

 

O formato Avenida constituiu um dos paradigmas máximos da estética Art Déco na produção de serviços de mesa da FLS. Correspondendo ao famoso formato Eve, desenvolvido no início da década de 1930 na fábrica inglesa Shelley, surge na tabela da FLS para 1938 mas já não consta da tabela para 1949.

 

Entre outras razões, é possível que este abandono da produção do formato esteja relacionado com questões ergonómicas das asas e com questões de equilíbrio das chávenas, as quais tendem a não manter o eixo horizontal quando se encontram cheias e estão apenas seguras pela asa entre o indicador e o polegar.

 

Na tabela de 1938, esta manteigueira, com a capacidade de 4 decilitros, vem indicada como sendo produzida nas pastas marfim, azul, ou verde e nas cinco classes existentes – I, Sem decoração; II, Decoração sem ouro; III, Decoração com ouro; IV, Decoração fantasia; V, Decoração extra.

 

Os preços aí indicados são os seguintes – Pasta Azul ou Verde: 12$75 para a classe I; 13$70, para a classe II; 15$20 para a classe III e 18$70 pra a classe IV, não se produzindo na classe V. Pasta Marfim: 11$00 para a classe I; 12$75 para a classe II; 13$10 para a classe III; 15$20 para a classe IV e 18$70 para a classe V.

 

O serviço completo, com 19 peças, constava de um bule, um açucareiro, uma leiteira, uma manteigueira, uma tigela de lavar, dois pratos de fatias e doze chávenas e pires. O conjunto vendia-se a 160$00 para a classe IV em pasta azul ou verde, o mesmo que custava o conjunto da classe V em pasta marfim.

 

 

 

 © MAFLS


mais sobre mim
Fevereiro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

19
20
22
23
24

25
26
27
28


pesquisar