Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Setembro 01 2014

 

Base de candeeiro, do último período de produção da FLS, com vidrado verde brilhante sobre o relevo moldado.

 

Este exemplar vem comprovar que o modelo, embora fosse inicialmente lançado e comercializado como jarra, veio posteriormente a ser adaptado a base de candeeiro na própria FLS, como se pode verificar pelo vidrado que recobre parte do orifício destinado à cablagem.

 

Veja-se uma variante de vidrado em peça semelhante, mas inicialmente comercializada como jarra, aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/5103.html.

 

No dia em que completa cinco anos, com cerca de 350.000 visitas e mais de 1280 artigos publicados, mais de duzentos e trinta dos quais dedicados a outras fábricas portuguesas, o Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém interrompe aqui a sua publicação periódica.

 

Endereçado às visitas que regularmente recebeu ao longo destes anos, à colaboração de coleccionadores na cedência de imagens das suas peças e partilha de conhecimentos, à prestimosa cooperação, cortesia e profissionalismo dos colaboradores do Museu de Cerâmica de Sacavém e do Centro de Documentação Manuel Joaquim Afonso e, particularmente, à amizade e ao contributo memorialístico de Clive Gilbert, fica aqui um profundo agradecimento a todas as pessoas que dedicam ao estudo e coleccionismo da cerâmica portuguesa muito do seu tempo, fazendo jus, assim, à memória de um património que indelevelmente contribui para a consolidação da nossa identidade nacional.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 23:59

Não posso dizer que tenha sido uma surpresa este final do MAFLS, o A.J. já o tinha anunciado aqui há uns tempos, mas digo-lhe que tenho muita pena que um projeto destes tenha chegado ao fim.
De qualquer forma, estes 5 anos de trabalho e partilha constantes constituem um valioso repositório de informação e imagens, que continuará a servir de referência para todos os que se interessam por cerâmica portuguesa. Muito lhe agradeço pela parte que me cabe.
Resta-nos esperar pelo início de um novo ciclo...
Até breve(?)
Maria A.
Maria Andrade a 8 de Setembro de 2014 às 09:54

Bom dia, M. C. A.

Agradeço as generosas considerações e a atenção que sempre dispensou ao MAFLS.

O modelo deste projecto desgastou-se inevitavelmente e atingiu o seu limite natural, mas talvez outros projectos possam surgir a médio prazo.

Entretanto, contentemo-nos com os interessantíssimos espaços que continuam disponíveis nesta área, entre os quais se inclui obviamente o seu: http://artelivrosevelharias.blogspot.pt/.

Grande abraço e até breve.

AJ
blogdaruanove a 12 de Setembro de 2014 às 11:22

Boa noite, sendo amante e apreciador desta Fábrica, fiz sempre uma visita diária e obrigatória a este site. Sempre disse que esta Fábrica era uma "caixinha de surpresas" e estava sempre a aprender. Fiquei triste quando o AJ me falou sobre este fim. Quero agradecer a disponibilidade do autor deste site, os conhecimentos e a vontade de dar a conhecer a história, a produção, os pormenores e as peças. Espero que alguém retome este site. AJ, obrigado por tudo e por estes anos de partilha de conhecimentos. Um abraço do HC.
HC a 10 de Setembro de 2014 às 23:07

Bom dia, HC.

Retribuo os agradecimentos, particularmente pela atenciosa partilha de imagens das muitas e interessantes peças que integram a sua colecção, certamente uma das mais extensas e completas entre aquelas que estão consagradas à FLS.

Grande abraço!

AJ
blogdaruanove a 12 de Setembro de 2014 às 11:31

Caro AJ,

mais do que uma mensagem de pesar esta é sobretudo uma mensagem de agradecimento pela persistência na partilha de saberes ao longo de cinco anos.
O MAFLS continuará certamente a ser referência e lugar de consulta por muito e muito tempo.

Fica o desafio da transformação destes conteúdos num belo volume de papel :)
Pense nisso...

Abraço,
CMP*
CMP* a 17 de Setembro de 2014 às 00:58

Prezada RF:

Para além da simpatia das suas elogiosas palavras, fica-me o conforto de saber que posso continuar a contar com os seus artigos, quer no CMP* original (http://ceramicamodernistaemportugal.blogspot.pt/) quer na versão FB (https://www.facebook.com/pages/Cer%C3%A2mica-Modernista-em-Portugal/132651503522386?fref=ts), e com a sua investigação aprofundada e rigorosa sobre cerâmica.

Quanto ao desafio, aguardemos. A materialização de projectos em papel já não é a prioridade que era, e se a realidade editorial portuguesa, nesta e noutras áreas relacionadas com as ditas artes decorativas, já não era muito dinâmica, agora menos será...

Saudações!

AJ
blogdaruanove a 26 de Setembro de 2014 às 08:19

Também aproveito para lhe expressar algum do pesar que sinto por esta quebra que anunciou, pois sempre foi, e será, um elemento de referência para uma camada da população, ainda que relativamente pequena, que se interessa por estes assuntos.
Qual a família portuguesa que não possui peças da Fábrica de Sacavém em casa? Eu, que nasci em Moçambique, vivi ali uma parte da minha vida, convivi diariamente com peças da Sacavém (sei-o agora, pois antes não fazia nem ideia!).
Foi neste seu espaço que fui descobrindo imensas coisas as quais não fazia nem ideia, como as diversas influências sentidas pela passagem de tantos artistas internacionais por estas instalações e o que nos legaram ou a escola que deixaram, e que, ao mesmo tempo, me permitiu igualmente identificar tanta peça que tinha perdida pela casa.
O que aqui apresentou sempre o fez de forma tranquila e competente, e continua a ser a salvação de quem quer saber algo rigoroso e sério sobre esta fábrica.
Um bem haja e que encontre rápido um novo projeto, pois o que vai fazendo tem sempre muita qualidade
Manel
Manel Sousa Cardoso a 18 de Setembro de 2014 às 18:01

Prezado Manuel Sousa Cardoso:

Grato pelas suas palavras de apreço.

Espero poder continuar a acompanhar os seus interessantes comentários nos espaços do Luís Montalvão e da Maria Andrade, entre outros.

Projectos novos há, e têm de continuar a haver, embora não nesta área específica.

Entretanto, também as notas de leitura relacionadas com literatura colonial portuguesa continuarão a surgir, sempre que possível (http://literaturacolonialportuguesa.blogs.sapo.pt/).

Saudações!

AJ
blogdaruanove a 26 de Setembro de 2014 às 09:00

Caro MAFLS

Entendo as suas razões.

Mas, quero-lhe expressar que deixou aqui um excelente trabalho, que é uma referência fiável para todos os colecionadores amadores, para os investigadores e para o cidadão anónimo, sobre aquela que foi a mais importante fábrica cerâmica portuguesa.

Pessoalmente, tenho imenso respeito por si e pelo seu trabalho

Espero que tenha em projecto outros espaços na internet sobre cerâmica, história ou colecionismo e que nos avise assim que isso acontecer.

Um abraço
Luís Montalvão

Luís Montalvão a 24 de Setembro de 2014 às 13:00

Prezado Luís Montalvão:

Um agradecimento particular por estas elogiosas palavras, manifestando o desejo de poder continuar a contar com a sua vivacidade narrativa e entusiasmo coleccionista no espaço onde nos vai dando conta dos seus enleios (http://velhariasdoluis.blogspot.pt/).

Abraço.

AJ
blogdaruanove a 26 de Setembro de 2014 às 09:11

mais sobre mim
Setembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


pesquisar