Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Julho 17 2016

 

Castiçal em porcelana da Vista Alegre, com bobèches amovíveis, medindo cerca de 18,9 x 25,2 x 5,1 cm.

 

Esta peça ostenta a marca correspondente ao período de 1947 a 1968.

 

 

© MAFLS


Abril 24 2016

 

Par de pequenos castiçais, com cerca de 5,1 cm. altura e 7 cm. de diâmetro máximo, em porcelana da Vista Alegre.

 

Não é vulgar encontrar este modelo de castiçal com tais tonalidades. O mais comum é apresentar o fundo branco de porcelana decorado a dourado, ou outras cores, como se pode observar no catálogo do III Leilão Vista Alegre, realizado em 1999.

 

Nesse leilão, o lote 286, correspondente a dois castiçais, foi licitado por 30.000$00 (cerca de 150 euros).

 

Muitas vezes, as histórias dos antiquários, ou mesmo das famílias que se desfazem de peças sobre as quais a memória da sua origem se desvaneceu, são negligenciáveis quanto a uma indicação segura de proveniência das mesmas.

 

Neste caso, sem reparar certamente nas suas cores, a antiquária assegurou que os exemplares provinham de uma família de antigos diplomatas. Uma proveniência aliciante para justificar esta combinação cromática, onde surgem as cores nacionais.

 

Se considerarmos ainda que a Vista Alegre produziu, e produz, várias peças por encomenda institucional, e a isto somarmos o facto de existirem documentos comprovativos do facto de Raul Lino (1879-1974) haver desenhado, por exemplo, peças da VA para a Legação de Portugal em Berlim, no início da década de 1940, poderíamos ter uma explicação sedutora e plausível para esta decoração.

 

Pena é que a etiqueta presente numa destas peças se assemelhe mais a um registo comercial do que a um registo de inventariação institucional...

 

 

© MAFLS


Abril 09 2016

 

Busto, com cerca de 20,4 cm. de altura, em biscuit da Vista Alegre, de Ílhavo.

 

Esta peça reproduz a escultura intitulada Flor Agreste, a partir de uma variante esculpida em 1878 por António Manuel Soares dos Reis (1847-1889).

 

Juntamente com O Desterrado (1872) e a Viscondessa de Vinhó e Almedina (1882?), esta será uma das esculturas em mármore mais famosas deste artista gaiense, que se suicidou antes de cumprir 42 anos.

 

 

Embora se pudesse pensar que a VA reproduziu esta peça por altura do centenário da sua criação ou no centenário do falecimento do escultor, a verdade é que se conhecem exemplares ostentando a marca da empresa correspondente ao período de 1968 a 1971.

 

Veja-se notícia sobre algumas peças deste escultor existentes no acervo do Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, aqui: http://www.museusoaresdosreis.pt/pt-PT/coleccao/esculturamnsr/ContentList.aspx.

 

 

© MAFLS


Outubro 18 2015

 

Em cima, conjunto de bule, chávena de café e pires, em porcelana da Vista Alegre, com decoração floral estilizada ao gosto Pop Art característico das décadas de 1960 e 1970.

 

Em baixo, bule e chávena de chá com o mesmo formato mas diferente decoração.

 

Conjuntamente com outros formatos lançados também na década de 1960, nomeadamente Primavera (http://mfls.blogs.sapo.pt/149941.html) e Solteirinha (http://mfls.blogs.sapo.pt/outras-fabricas-outras-loicas-cxciii-294829), este constitui-se como paradigma das mais inovadoras propostas da VA nessa década e na seguinte, documentando uma contemporaneidade que se contrapõe aos modelos mais conservadores, quer de formatos quer de motivos, que a empresa viria a promover entre as décadas de 1970 e 1990.

 

 

Reproduz-se, de seguida, a contracapa da revista Modas e Bordados, número 3152, de 5 de julho de 1972, que, para além de publicitar a segunda loja da VA, também na zona do Chiado, em Lisboa, ilustra ainda duas outras decorações diferentes em bules com este mesmo formato.

 

 

As peças do primeiro conjunto apresentado neste artigo ostentam a marca VA correspondente ao período de 1947 a 1968, tal como o bule do segundo. No entanto, a chávena que acompanha este último apresenta a marca reproduzida abaixo.

 

Corresponde esta a uma variante do período 1968-1971, habitualmente não reproduzida nos diversos catálogos, livros e sites que divulgam registos históricos das marcas da empresa (http://vistaalegre.com/catalog/evolucaomarca.pdf).

 

A presente variante havia já sido registada anteriormente aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/265432.html.

 

 

© MAFLS


Março 08 2015

 

Conjunto de três pratos, em porcelana da fábrica da Quinta Nova, com ilustrações de Lima de Freitas (1927-1998).

 

Representando cenas alusivas às batalhas de S. Mamede (1128), acima, do Salado (1340), abaixo, e das Linhas de Elvas (1659), no final do artigo, estes pratos fazem parte de uma série de doze exemplares, intitulada Tempos de Bravura - Da Fundação ao Liberalismo, editada pelas Colecções Philae em 1986.

 

Note-se como o exemplar da batalha de S. Mamede, através da indumentária dos combatentes, do armamento, nomeadamente da cimitarra, e da simbologia dos escudos, se coadunaria mais com os intervenientes na batalha de Ourique (1139), que também se encontra representada nesta série.

 

 

A fábrica da Quinta Nova, criada na década de 1980, pertencia ao grupo Vista Alegre e assegurava uma produção mais centrada na porcelana de mesa e de hotelaria, estando localizada em Chousa Nova, Ílhavo.

 

Manteve esta designação autónoma até 2001, ano em que a VAA - Vista Alegre Atlantis, SGPS, SA, absorveu a Porcelanas da Quinta Nova, S.A, cuja designação social passou a ser Fábrica de Porcelana da Vista Alegre, S.A , a Cristais Atlantis, SGPS, S.A e a Vista Alegre - Sociedade de Controlo, SGPS, S.A.

 

Como é de tradição na empresa, esta mudança traduziu-se na criação de uma nova marca VA, que foi aposta nos exemplares da sua produção entre os anos de 2001 e 2008 (cf. http://www.myvistaalegre.com/catalog/evolucaomarca.pdf).

 

 

© MAFLS


Setembro 01 2014

 

Placa em biscuit da Vista Alegre, com cerca de 10,7 x 7,2 x 0,6 cm., comemorativa do centenário do corpo de bombeiros da empresa.

 

Apresenta as legendas "Centenário do Corpo de Bombeiros Privativo da Vista Alegre 1880-1980", no anverso, e "Um Século de Voluntária Devotação ao Irmão Homem", no verso.

 

Na parte inferior do anverso apresenta ainda as inscrições "Des. J. S. (?) Loureiro", à esquerda, e "Esc. C. Calisto [Carlos da Rocha Calisto, 1934-2009]", à direita.

 

 

© MAFLS


Agosto 09 2014

 

Pequena jarra em porcelana da Vista Alegre, com cerca de 10,8 cm. de altura, apresentando decoração floral pintada à mão sobre o vidrado.

 

Embora este exemplar ostente a marca correspondente ao período 1947-1968, tal formato foi produzido frequentemente durante o período anterior (1922-1947), sendo até um dos mais característicos dessas décadas.

 

 

© MAFLS


Maio 11 2014

 

Taça em porcelana da Vista Alegre, com cerca de 14,7 cm. de diâmetro e 7 cm. de altura, ostentando uma das marcas da fábrica atribuídas ao período de 1881 a 1921.

 

A decoração monocromática amarela, coroada por um discreto remate dourado no rebordo, sobrepõe-se ao relevo negativo da parte inferior, que parece evocar algas ou um motivo vegetalista, formando uma peça minimalista de harmonioso efeito e algo evocativa da inspiração oriental.

 


Abril 08 2014

 

Ainda a propósito do formato Asa Triangular (http://mfls.blogs.sapo.pt/outras-fabricas-outras-loicas-cci-304854) apresentam-se hoje três peças correspondentes a esse modelo – duas do período 1924-1947, uma cafeteira e um bule, outra, uma leiteira, do final da década de 1990.

 

As duas primeiras, embora surjam num formato que apelaria melhor a uma decoração mais minimalista ou geometrizante, traduzem inequivocamente aquele que seria o gosto pelo figurativismo floral então predominante no público português.

 

Apesar de a decoração já corresponder a uma gramática contemporânea mais contida, e em certa medida até algo minimalista, insere-se ainda num gosto conservador que tendia a centrar a decoração cerâmica nos motivos  florais, pese embora o design claramente contemporâneo, e quase modernista, destes motivos.

 

Esta apetência pela decoração floral era uma característica que também se fazia sentir em Inglaterra, a qual foi clamorosamente sublinhada, talvez devido à sua maior exuberância cromática e inovação composicional, pelo sucesso de vendas das criações de Clarice Cliff (1899-1972) durante as décadas de 1920 e 1930.

 

 

Tal como aquelas que se apresentaram no anterior artigo, as duas primeiras peças integrariam certamente um serviço tête-à-tête para duas pessoas.

 

A cafeteira, que apesar da designação ostenta os orifícios característicos de um bule, mede cerca de 14,4 cm. de altura, enquanto o bule apresenta apenas cerca de 8,7 cm. de altura.

 

As dimensões desta última peça contrastam com as dos bules Asa Triangular destinados aos serviços completos, ou mesmo aos meios-serviços, que apresentam cerca de 13 cm. de altura.

 

Dos formatos originais da década de 1930 conhecem-se chávenas de chá e de café, designadas como "Asa Triangular baixa com asa maciça" na entrada 1524 dos arquivos da VA, que, curiosamente, apresentam dimensões ligeiramente maiores nos conjuntos tête-à-tête do que nos serviços completos.

 

Uma encomenda datada de 1 de junho de 1938, registada nos mesmos arquivos sob o número 32387, refere que o formato da leiteira, criado em 1933, foi também adaptado para cafeteiras número 4 (código numérico correspondente às dimensões da peça).

 

 

Em finais de 1998, a VA anunciou o lançamento do serviço Keisha, comercializado no início do ano seguinte, que retomou o formato Asa Triangular, de que se apresenta acima uma leiteira com cerca de 11,7 cm. altura.

 

Com belíssima decoração geometrizante, a azul cobalto e ouro, de Aïssata Pinto da Costa (datas desconhecidas, filha de Manuel Pinto da Costa [n. 1937], actual presidente de São Tomé e Príncipe; ver uma entrevista de Aïssata aqui: http://www.adelaidedamoah.com/.), este serviço inclui peças de almoço e pequeno-almoço.

 

Na época a VA dispunha da cadeia de lojas Casa Alegre, para as quais Aïssata Pinto da Costa concebeu ainda três outras decorações – Adey, Aisha e Oumi, todas elas em cores quentes e com motivos de alegada inspiração africana, que foram comercializadas em faiança.

 

Não se sabendo se devido a um  elevado custo da decoração ou a um fracasso de vendas, o motivo Keisha, o único produzido em porcelana, foi descontinuado a partir de 2004.

 

          

 

© MAFLS


Abril 05 2014

 

Conjunto de leiteira, açucareiro e bule, formato "Asa Triangular", em porcelana da Vista Alegre, Ílhavo, apresentando marcas correspondentes ao período 1924-1947.

 

Os arquivos da VA, relativos a uma leiteira similar a esta registada sob a entrada número 4072 de 1938, referem que este formato foi introduzido em Julho de 1933, embora o arredondado bico desta peça seja distinto daquele original, que era angular.

 

A imagem destes exemplares consta, juntamente com outra imagem de chávenas do mesmo formato, do catálogo da exposição Portuguese Ceramics in the Art Deco Period, realizada nos EUA em 2005, sendo da autoria da fotógrafa americana Maggie Nimkin (http://www.maggienimkin.com/).

 

Uma leiteira do formato "Asa Triangular" original, com o bico angular e decoração floral foi também exibida nesse evento, surgindo sob o número 154 de catálogo.

 

Esse formato original, com decoração exactamente igual a esta, pode também ser visto no espaço de Maria Andrade: http://artelivrosevelharias.blogspot.pt/2012/04/formas-clarice-cliff-em-porcelana-da.html.

 

Conforme referido no catálogo daquela exposição, e também no espaço acima mencionado, esta leiteira é muito semelhante ao modelo Bizarre Ware Conical Shape introduzido em Inglaterra em 1929 e desenhado pela consagrada Clarice Cliff (1899-1972).

 

Por sua vez, a base do açucareiro evoca claramente a influência da Bauhaus, em particular o famoso design que Marianne Brandt (1893-1983) produziu para bules, taças e cinzeiros, de metal, em meados da década de 1920.

 

Note-se que a imagem original foi registada em película e posteriormente digitalizada, o que afectou a sua qualidade e não reflecte as características que uma impressão em papel fotográfico oferece.

 

Uma diferente fotografia destas peças surgiu em grande destaque na primeira página de jornal Luso-Americano (http://www.lusoamericano.com/), publicado em Newark, New Jersey, E.U.A., algumas semanas antes da inauguração da referida exposição.

 

© MAFLS


mais sobre mim
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
16
18

20
21
23
24
25

26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
subscrever feeds