Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Março 04 2014

© MCS/CDMJA

 

John Bull e Zé Povinho

 

Um pouco antes da visita de S.M. a Rainha Isabel II a Portugal, em 1985, fui contactado pela então directora do Palácio de Queluz, Dr.ª Simonetta Luz Afonso, a qual me informou que se iria realizar uma exposição no Palácio onde iria ficar hospedada Sua Majestade e seu marido, S.A.R. o Príncipe Philip.

 

O tema da exposição estaria relacionado com a primeira visita a Portugal de Sua Majestade, em 1957. Para este efeito a Dr.ª Simonetta pretendia saber se seria possível a Sacavém produzir uma réplica de uma estatueta feita em loiça, da autoria do escultor Leonel Cardoso (1898-1987), mostrando o John Bull e o Zé Povinho lado a lado e abraçados, ilustrando a famosa Aliança Luso-Britânica.

 

Esta peça esteve exposta numa das montras da loja da Sacavém na Avenida da Liberdade em Lisboa durante essa primeira visita da Rainha. Curiosamente, estando eu em Londres nessa altura vi, por acaso, num cinema da Pathé (esta empresa tinha cinemas que mostravam noticiários e desenhos animados), a notícia da visita onde, a certa altura, aparecia a montra da Sacavém com a estatueta.

 

O problema era que, embora a peça criada em 1957 constasse da tabela de 1960, onde surgia com a indicação de ter sido produzida em dois tamanhos, não se conseguiam encontrar os moldes da época.

 

No entanto, respondi à Dr.ª Simonetta que, desde que se conseguisse encontrar um exemplar e o tivessemos na nossa posse, poderíamos fazer uma réplica sem grande dificuldade. Não sendo possível encontrar qualquer peça das que teriam sido comercializadas anteriormente, solicitou-se então à familia Cardoso o empréstimo do original que estava na sua posse.

 

A família declarou que apenas o emprestaria se eu próprio tomasse conta directamente do assunto. Assim foi.

 

Acabaram por se produzir cinco réplicas, duas das quais passaram a integrar colecções particulares – uma de um coleccionador do Porto, outra de uma família inglesa residente no Alentejo.

 

A réplica que ficou na FLS, com cerca de 38 cm. de altura, foi posteriormente exibida na exposição que, em 1989, o Museu de Cerâmica das Caldas da Rainha dedicou a Leonel Cardoso, e seu filho Leonel Gomes Cardoso (1919-1988), podendo ver-se reproduzida no respectivo catálogo.

 

Exemplar actualmente em exibição no MCS.

 

© Clive Gilbert

© MAFLS


Junho 09 2013

     

 

Jarra em faiança, com cerca de 21,4 cm. de altura e 10,9 de diâmetro, na base, produzida pela fábrica de Viana já no período Jerónimo Pereira Campos & Filhos, que se iniciou em 1948.

 

No seu livro A Louça de Viana (2003), António Matos Reis (n. 1943) refere que na década de 1950 passaram pela fábrica da Meadela conceituados artistas como António Pedro (1909-1966) ou Marcelino Vespeira (1925-2002).

 

Embora a decoração não corresponda à que habitualmente a empresa comercializava, sendo esta provavelmente uma peça única, e Vespeira tenha criado algumas composições figurativas surrealistas onde ora se evocam vesicas ora arcos em ogiva, é muito discutível que esta possa ter sido uma das suas criações.

 

Algumas pessoas, no entanto, pretendem fazer corresponder às suas iniciais as duas abreviaturas colocadas à direita da marca CF.

 

 

© MAFLS


Dezembro 04 2011

© BAFCG

 

Fotografia de um painel de azulejos referenciado como tendo pertencido a uma loja da FLS no Funchal, Madeira.

 

O original desta fotografia é do coleccionador e perito em azulejaria João Miguel dos Santos Simões (1907-1972) e pode ser visto no acervo digital da Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian (http://www.flickr.com/photos/biblarte/4574299911/). 

 

Curiosamente, o painel encontra-se datado de 1957 e assinado por Hansi Staël (1913-1961), a consagrada ceramista que em Portugal desenvolveu a maioria do seu trabalho na fábrica Secla, das Caldas da Rainha.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Novembro 07 2010

 

Taça pintada à mão, decorada com o motivo Quinta.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Setembro 02 2009

 

Na década em que a empresa celebrou o seu centenário (1950) e a rainha Isabel II de Inglaterra visitou oficialmente Portugal (1957), a FLS desenvolveu algumas peças em Jasper Ware, tanto quanto se sabe apenas no formato de camafeu (conhecem-se quinze exemplares diferentes), que foram colocadas no mercado através das suas lojas e se mantiveram em comercialização até ao início da década seguinte. Estas peças foram modeladas pelo escultor Armando Mesquita (1907-1982), que já havia criado outras peças notáveis para a FLS.

 

Pela sua translucidez, pela qualidade da sua modelação clássica e pela sua limpidez estas peças chegam a superar algumas das características da produção Wedgwood, fábrica inglesa pioneira nesta técnica cerâmica, e suplantam largamente as peças também desenvolvidas pela Vista Alegre, com técnica diferente mas resultados semelhantes à produção Wedgwood, nos finais da década de 1960 e princípios da década de 1970, e mesmo nas décadas anteriores (conhecem-se peças a azul e branco com a marca utilizada na VA entre 1922 e 1947, a verde e branco  com a marca utilizada na VA entre 1947 e 1968, e a azul e branco com a marca utilizada na VA entre 1968 e 1971).

 

 

© MAFLS


mais sobre mim
Fevereiro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


pesquisar
 
subscrever feeds