Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Agosto 06 2017

 

Pequeno prato, ou alfineteira, em porcelana da SPAL, Alcobaça, de concavidade acentuada e com cerca de 2,9 cm. de altura e 12,1 cm. de diâmetro, comercializado através da empresa Solafrance.

 

A empresa Solafrance era uma subsidiária da SPAL em França, que esteve registada no Tribunal Comercial de Paris, onde se encontrava a sua sede, entre 25 de Junho de 1969 e 3 de Novembro de 2009, embora a sua dissolução tivesse sido declarada já em 31 de Janeiro de 2005, data em que foi nomeado um liquidatário.

 

Não foi possível encontrar qualquer informação sobre D. Roubin, que, supostamente, terá concebido esta decoração, mas no século XIX existiu também um compositor francês chamado Amédée de Roubin (Victor Marie Paul Amédée de Roubin ?, 1824-1864).

 

 

© MAFLS


Outubro 30 2016

 

Grande castiçal em faiança, com cerca de 50,4 cm. de altura, modelado pela ceramista Bela Silva (n. 1966).

 

Produzido na fábrica Bordallo Pinheiro, nas Caldas da Rainha, e comercializado em 2005 pelo Museu Bordalo Pinheiro, em Lisboa, esta peça inseria-se num conjunto de criações contemporâneas que pretendia evocar e homenagear a herança da cerâmica caldense, em geral, e celebrar, em particular, o impulso criativo e artístico que Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905) trouxe a esta indústria no último quartel do século XIX.

 

Na mesma ocasião o museu promoveu e comercializou também recriações de conjuntos tradicionais das peças bordalianas em faiança, recobertas a crochet, concebidos por Joana Vasconcelos (n. 1971).

 

 

Capa do catálogo, com design de Jorge Colombo (n. 1963), da exposição de Bela Silva intitulada Antes do Mar, As Águas, que esteve patente no Museu Nacional do Azulejo entre 15 de Abril e 25 de Junho de 1999.

 

 

© MAFLS


Junho 19 2016

 

Dípticos azulejares, executados em oficina não identificada, ostentando a assinatura de José de Sousa (datas desconhecidas) e a data de 2005.

 

 

Embora estes não sejam exemplares de produção industrializada e comercialização em larga escala, destinam-se obviamente a apelar a um público, eventualmente turístico, que identificará a tradição azulejar e o peixe como ícones de Portugal.

 

 

© MAFLS

 


Março 19 2014

 

Grande cachepot em faiança, do acervo do MCS, onde se encontra catalogado sob o número 3009, com cerca de 22,8 cm. de altura e 33 cm. de diâmetro.

 

Esta peça apresenta decoração estilizada que evoca claramente uma nova celebração da civilização egípcia, desencadeada pelas descobertas arqueológicas ocorridas na década de 1920, particularmente a do túmulo do faraó Tuthankamon (séc XIV a. C.).

 

A presente imagem consta do catálogo da exposição Portuguese Ceramics in the Art Deco Period, realizada nos EUA em 2005, e é da autoria do fotógrafo João Francisco Vilhena (n. 1965).

 

Note-se que a imagem original foi registada em película e posteriormente digitalizada, o que afectou a sua qualidade e não reflecte as características que uma impressão em papel fotográfico oferece.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Setembro 24 2013

 

Exemplar de um conjunto de ampara-livros com vidrado mate.

 

A presente imagem consta do catálogo da exposição Portuguese Ceramics in the Art Deco Period, realizada nos EUA em 2005, e é da autoria do fotógrafo João Francisco Vilhena (n. 1965).

 

Note-se que a imagem original foi registada em película e posteriormente digitalizada, o que afectou a sua qualidade e não reflecte as características que uma impressão em papel fotográfico oferece.


Esta peça integra a colecção de Clive Gilbert.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Setembro 18 2013

 

Grande cachepot em faiança, do acervo do MCS, onde se encontra catalogado sob o número 3007, com cerca de 23,5 cm. de altura e 32 cm. de diâmetro.

 

Decorada a esmaltes coloridos e ouro, esta peça apresenta uma estilização floral que evoca claramente o cromatismo feérico patente nos discos órficos da obra de Robert (1885-1941) e Sonia Delaunay (1885-1979), de forma mais acentuada do que já se tinha verificado numa outra peça desta fábrica (http://mfls.blogs.sapo.pt/7045.html).

 

A presente imagem consta do catálogo da exposição Portuguese Ceramics in the Art Deco Period, realizada nos EUA em 2005, e é da autoria do fotógrafo João Francisco Vilhena (n. 1965).

 

Note-se que a imagem original foi registada em película e posteriormente digitalizada, o que afectou a sua qualidade e não reflecte as características que uma impressão em papel fotográfico oferece.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Setembro 12 2013

 

Jarra moldada em relevo com vidrado verde mate.

 

É esta uma das variantes mais invulgares da conhecida " Jarra Caçadores, em relevo", já referida aqui anteriormente: http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/jarra+formato+29. Para outras variantes vejam-se também as diversas publicações de MUONT que foram dedicadas a este modelo, surgindo o exemplar mais interessante aqui: http://modernaumaoutranemtanto.blogspot.pt/2012/07/jarra-art-deco-cacadores-em-relevo-cor.html.

 

A presente imagem consta do catálogo da exposição Portuguese Ceramics in the Art Deco Period, realizada nos EUA em 2005, e é da autoria do fotógrafo João Francisco Vilhena (n. 1965).

 

Note-se que a imagem original foi registada em película e posteriormente digitalizada, o que afectou a sua qualidade e não reflecte as características que uma impressão em papel fotográfico oferece.

 

Esta peça integra a colecção de Clive Gilbert.

 

© MAFLS


Setembro 06 2013

 

Publica-se hoje o milésimo artigo no espaço Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém.

 

Para marcar a efeméride, reproduz-se aqui uma peça do acervo do MCS que esteve patente na exposição Portuguese Ceramics in the Art Deco Period, realizada nos EUA em 2005.

 

Uma vez que existe uma natural curiosidade pelos exemplares cerâmicos então exibidos, passarão a divulgar-se ao longo deste ano, semanalmente, algumas das peças da FLS ali apresentadas.

 

Esta figura caricatural de Otto von Bismarck (1815-1898), com cerca de 26 x 14,9 x 8,6 cm., sem qualquer marca ou número de produção na pasta, encontra-se catalogada no MCS sob o número 3540, desconhecendo-se o seu autor.

 

Embora se saiba que Leonel Cardoso (1898-1987), para além da série Bébé, modelou diversas caricaturas, como as do primeiro-ministro inglês Winston Churchill ou do, também inglês, marechal Montgomery, não é possível atribuir-lhe com certeza absoluta a sua autoria.

 

Veja-se como esta caricatura evoca claramente os cavalinhos de cartão ou madeira de meados do século XX e antecede o conceito que o artista plástico Costa Pinheiro (n. 1932) haveria de vir a retomar e desenvolver no final daquele século (http://mfls.blogs.sapo.pt/181679.html).

 

A presente imagem consta do catálogo da exposição e é da autoria do fotógrafo João Francisco Vilhena (n. 1965).

 

Note-se que a imagem original foi registada em película e posteriormente digitalizada, o que afectou a sua qualidade e não reflecte as características que uma impressão em papel fotográfico oferece.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

mais sobre mim
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar
 
subscrever feeds