Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Agosto 23 2014

 

Apresentam-se hoje dois bules em porcelana da Electro-Cerâmica do Candal, em Vila Nova de Gaia, que, numa tonalidade mais clara, evocam o famoso azul cobalto de Sèvres.

 

Datáveis das décadas de 1930 ou 1940, traduz o primeiro aquele que terá sido o mais modernista dos modelos de chá e café do Candal, embora o perfil da pega da tampa se conheça, com variantes, em peças quer da Manufactura de Faianças das Caldas da Rainha, quer da Vista Alegre, onde tal formato, com asas completamente diferentes, surge sob a designação Samuel.

 

O segundo bule, com o seu humorístico toque na pega da tampa, apresentando um caracol estilizado, será provavelmente mais tardio que o primeiro e traduz um retorno a formas mais conservadoras, com evocação de influências mais classicizantes e neo-barrocas.

 

 

A propósito ainda destes bules, inquestionavelmente enquadráveis no período Art Déco, e do pequeno cinzeiro apresentado abaixo, com cerca de 10 cm. de diâmetro, aproveita-se a oportunidade para sistematizar, sem o estabelecimento de uma cronologia específica, algumas das marcas utilizadas pela Electro-Cerâmica do Candal ao longo da sua existência.

 

O primeiro bule ostenta a marca C1a, o segundo a marca C3c, a qual surge aqui acompanhada de uma referência manuscrita à decoração, comum nas peças da Sociedade de Porcelanas, de Coimbra, mas pouco habitual nas peças do Candal, e o cinzeiro, surpreendentemente, a marca C4, correspondente à PORCEC, a última utilizada no Candal, de que se conhece ainda outra variante com o EC entrelaçado.

 

 

 

Registe-se, novamente, que existe um site dedicado à memória da EC do Candal, instituído pela Candal Park, Centro de Negócios e Empresas, empresa que veio recuperar, ocupar e adaptar as antigas instalações da fábrica: http://www.candalparque.pt/quemsomos.php.

 

Finalmente, recorde-se, mais uma vez, que há também um site consagrado exclusivamente à divulgação e ao coleccionismo de peças do Candal: http://detalhesceramicos.blogspot.pt/.

 

                    

C1a                                        C1b                                        C1c                                         C2

 

               

C3a                                        C3b                                        C3c                                         C4

 

© MAFLS


Maio 02 2012

     

     

 

Jarra, com cerca de 19,8 cm. de altura, apresentando decoração aplicada a ouro e prata sobre o vidrado.

 

Este exemplar corresponde ao formato número 20 do catálogo de jarras da FLS anteriormente reproduzido (cf. http://mfls.blogs.sapo.pt/123502.html), estando registado na tabela de Maio de 1951 sob a designação "Jarra Portugália, n.° 17", ao preço de 50$50 para "Côres Mates ou coloridos s/  ouro", 60$50 para "Coloridos c/ ouro" e 121$00 para "Azul Sèvres ou Verde, c/ ouro".

 

O azul cobalto que serve de fundo a esta peça denominava-se na FLS Azul Sèvres, dado ser este um azul que, a partir do início do século XIX, se tornou característico da porcelana dessa célebre fábrica francesa.

 

Veja-se uma jarra do mesmo formato, com diferente decoração, aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/140627.html.

 

 

© MAFLS


Maio 09 2010

 

Prato com decoração em relevo na pasta, rebordo a azul cobalto com filete a dourado, sobre o vidrado, e estampa cromolitográfica, sob o vidrado, com retoques a esmalte branco sobre o vidrado.

 

Embora este prato decorativo não apresente marcas na pasta, ou qualquer carimbo, corresponde a um formato da FLS ilustrado com três exemplares, um dos quais apresenta uma figura feminina também em cromolitografia, no catálogo da exposição Porta Aberta às Memórias, Segunda Edição (MCS, 2009).

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

mais sobre mim
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


pesquisar