Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Abril 18 2014

© MCS/CDMJA

 

Fotografia, dos arquivos do CDMJA, ilustrando formatos da Fábrica do Carvalhinho das décadas de 1930 e 1940.

 

Estes formatos surgem na tabela de preços não datada que tem vindo a ser referida, sob a designação "Cinzeiro" e a numeração A 1, ao preço de 7$50, sob a designação "Bilheteira c/ asa de palha" e a numeração A 3, ao preço de 25$00, sob a designação "Caixa-cigarros" e a numeração A 15, ao preço de 17$50, sob a designação "Cinzeiro" e a numeração A 16, ao preço de 15$00, sob a designação "Cestinha c/ asa" e a numeração A 21, ao preço de 20$00, e ainda sob a designação "Taça oval" e a numeração A 25, ao preço de 35$00.

 

Note-se que a aplicação de palhinha ou vime nas asas de certas peças cerâmicas foi também adoptada nas duas décadas que se seguiram ao pós-guerra por algumas fábricas de Alcobaça, como a Elpa e a OAL, onde surge associada à decoração tipo Athenea (http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/decora%C3%A7%C3%A3o+tipo+athenea), e em peças com decoração mais modernista da VA (http://mfls.blogs.sapo.pt/outras-fabricas-outras-loicas-cxciii-294829).

 

A imagem é uma cortesia do Museu de Cerâmica de Sacavém / Centro de Documentação Manuel Joaquim Afonso.

 

© MAFLS


Abril 12 2014

 

Pequena jarra em faiança da Fábrica do Carvalhinho, com decoração floral correspondente ao motivo número 31, pintada à mão sob o vidrado.

 

Esta jarrinha surge catalogada, na tabela de preços não datada que tem vindo a ser referida, sob o número 13, "Jarra manga", ao preço de 6$00.

 

Veja-se uma jarra similar, apresentando, surpreendentemente, o número 14, aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/38337.html.

 

Veja-se ainda outra jarra similar, cuja numeração não está clara, aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/218719.html.

 

 

© MAFLS


Fevereiro 21 2014

 

 

Jarro em faiança da Fábrica do Carvalhinho com decoração vegetalista pintada à mão sob o vidrado.

 

Note-se que, tal como acontece com uma peça aqui recentemente ilustrada (http://mfls.blogs.sapo.pt/lavanda-292769), para além de apresentar o nome da pintora, este exemplar não ostenta no tardoz qualquer indicação relativa quer ao formato quer à decoração, o que poderá indiciar ser esta uma peça produzida depois de 1965, ano em que a FLS abandonou a sua participação na Carvalhinho.

 

 

© MAFLS


Fevereiro 01 2014

© MCS/CDMJA

 

Fotografia, dos arquivos do CDMJA, ilustrando formatos da Fábrica do Carvalhinho das décadas de 1930 e 1940.

 

Estes formatos surgem na tabela de preços não datada que tem vindo a ser referida, sob a designação "Jarra" e a numeração A 11, ao preço de 12$50, A 13, ao preço de 12$50, A 14, ao preço de 10$00, A 19, ao preço de 17$50, e A 20, ao preço de 12$50.

 

As peças constantes desta tabela, apresentadas sob a designação genérica "Série A (Género moderno)", contradizem obviamente a opinião de Fausto Martins (n. 1939), registada na já referida separata Subsídios para a História da Fábrica Cerâmica do Carvalhinho (1984), sobre inovação de formatos e decoração no Carvalhinho durante a gestão da FLS (1930-1965):

 

"Em relação ao fabrico, não me parece que tenha sido muito fértil na criação e lançamento de novas formas. Apresenta formas já conhecidas no mercado: pratos, travessas, terrinas, vasos, fruteiras, floreiras, canecas, etc..."

 

Sendo embora claramente inovadores quanto à tradicional e conservadora abordagem do Carvalhinho, os formatos e a decoração da Série A (http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/carvalhinho+s%C3%A9rie+a) denotam sem dúvida alguma influência da produção de fábricas inglesas, como a Avon Ware, Crown Devon, Gray's Pottery, Maling & Sons, ou Myott, entre outras.

 

A imagem é uma cortesia do Museu de Cerâmica de Sacavém / Centro de Documentação Manuel Joaquim Afonso.

 

© MAFLS


Janeiro 30 2014

 

Lavanda, a que faltará o complemento do gomil, ou apenas bacia ou travessa funda, com cerca de 5,8 x 36 x 24 cm., em faiança da Fábrica do Carvalhinho.

 

Note-se que, para além de apresentar o nome da pintora, este exemplar não ostenta no tardoz qualquer indicação relativa quer ao formato quer à decoração, o que poderá indiciar ser esta uma peça produzida depois de 1965, ano em que a FLS abandonou a sua participação na Carvalhinho.

 

De acordo com aquilo que genericamente acontecia quanto ao labor feminino nas grandes unidades industriais portuguesas de cerâmica, observou Fausto Martins (n. 1939), na sua comunicação Subsídios para a História da Fábrica Cerâmica do Carvalhinho (apresentada em Novembro de 1983, publicada como separata da revista Gaya em 1984), sobre o período em que a Carvalhinho foi gerida pela FLS (1930-1965):

 

"De uma maneira geral, podemos dizer que os homens se dedicavam, primordialmente, à pintura dos painéis de azulejos, cabendo às mulheres a pintura de loiça decorativa. Neste capítulo, é de justiça salientar o nome de Adriana Correia, mulher de grande sensibilidade artística, acompanhada, mais tarde, por Maria Natália Soares Leitão que, durante anos, dirigiram o importante sector da louça de ornamentação, em que trabalhavam 100 mulheres."

 

 

© MAFLS


Novembro 21 2013

© MCS/CDMJA

 

Fotografia, dos arquivos do CDMJA, ilustrando formatos da Fábrica do Carvalhinho das décadas de 1930 e 1940.

 

Estes formatos surgem na tabela de preços não datada que tem vindo a ser referida, sob as designações A 17, "Jarra fantasia", ao preço de 25$00, A 26, "Jarra balão", ao preço de 20$00, e A 29, "Jarra alta", ao preço de 45$00.

 

Cortesia do Museu de Cerâmica de Sacavém / Centro de Documentação Manuel Joaquim Afonso.

 

© MAFLS


Junho 24 2013

 

Continuando a evocar as populares Festas de S. João através de cerâmica da região do Porto, publica-se hoje um prato da Fábrica do Carvalhinho, em forma de travessa oval recortada com cerca de 17,8 x 20,2 cm., apresentando motivo floral pintado à mão.


O formato desta peça encontra-se referido numa tabela da Fábrica Cerâmica do Carvalhinho não datada, embora seja muito provavelmente da década de 1930, sob o número 30, "[Prato rendilhado] Idem oval", ao preço de 10$00.


Veja-se um outro prato deste formato, apresentando o motivo número 3 (?), aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/21266.html.



© MAFLS


Junho 08 2013

 

Pequeno prato da fábrica do Carvalhinho, com cerca de 15,9 cm. de diâmetro, apresentando decoração pintada à mão sob o vidrado.

 

A exemplo de outros conjuntos comercializados pela fábrica (http://mfls.blogs.sapo.pt/191542.html), esta seria, muito provavelmente, uma peça que complementaria um vaso com decoração semelhante.

 

 

© MAFLS


Abril 25 2013

     

Vaso formato 193, com cerca de 12,8 cm. de altura e cerca de 15,8 cm. de diâmetro, em faiança pintada à mão sob o vidrado, da Fábrica do Carvalhinho.

 

Este formato não se encontra na tabela de preços não datada que tem vindo a ser referida, a qual apenas regista formatos até ao número 130.

 

 

© MAFLS


Janeiro 01 2013

 

Pequena jarra em faiança da Fábrica do Carvalhinho, com decoração floral pintada à mão sob o vidrado.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

mais sobre mim
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30


pesquisar