Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Setembro 01 2012

 

Completam-se hoje três anos de publicação do espaço Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém.

 

Um momento adequado para agradecer às pessoas e instituições que, além de visitarem estas páginas, têm enriquecido o espaço com a partilha de imagens dos seus arquivos, e colecções, e a partilha de conhecimentos nos seus comentários.

 

Um momento adequado, também, para agradecer em particular a todos os técnicos e funcionários do Museu de Cerâmica de Sacavém e, muito especialmente, do Centro de Documentação Manuel Joaquim Afonso a colaboração que têm dado a este espaço e todo o apoio que têm prestado à investigação do autor ao longo da última década.

 

No entanto, ao fim de três anos qualquer espaço com estas características tende a evidenciar inevitável desgaste, perdendo algum do impacto e do interesse inicial. Ponderou-se, por isso, cessar a sua publicação.

 

Por coincidência, nesse período de indecisão, um desafio lançado a um dos protagonistas da história recente da FLS teve boa aceitação e trouxe a possibilidade de se poder contar com nova e inestimável colaboração neste espaço. Uma colaboração que, só por si, justifica a manutenção do MAFLS.

 

Assim, é possível anunciar desde já a disponibilidade de Clive Gilbert para evocar o seu percurso pessoal na FLS através da publicação de textos inéditos, expressamente escritos para este espaço, que virão a ser reunidos sob o título Memórias de Clive Gilbert

 

Ao longo dos seus doze anos de existência o MCS tem vindo a registar e a divulgar, nas suas exposições e nos seus catálogos, as experiências e as memórias de muitos trabalhadores da FLS. Precioso contributo para as memórias da empresa, que a partir de agora passarão certamente a ficar ainda mais completas.

 

 

 

 

A peça escolhida para assinalar esta efeméride é uma invulgar escultura moldada de um dragão, em biscoito, ou chacota, com as dimensões aproximadas de 22,8 x 23,8 x 18 cm.

 

Na cultura oriental, em cuja gramática escultural este exemplar se insere, o dragão surge como uma criatura benévola e auspiciosa para o novo ano, sendo comum nas representações associadas a esse rito de passagem.

 

Este dragão, de que não se conhece qualquer outro exemplar acabado em faiança vidrada ou pintada, corresponderá eventualmente à peça referenciada na tabela de Novembro de 1945 sob o número 371 e a designação "Figura de Dragão", ao preço de 264$00 para "Colorido s/ ouro". Tal valor colocava aquela peça entre as 15 mais caras da FLS na categoria, num total de 415 peças tabeladas nesse ano.

 

A peça surge ainda na tabela de Maio de 1951, ao preço de 303$50 para "Côres Mates ou coloridos s/ ouro", mas já não aparece na tabela de Maio de 1960.

 

© MAFLS


mais sobre mim
Fevereiro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

19
20
22
23

25
26
27
28


pesquisar