Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Dezembro 10 2017

 

Jarra modular Double, em faiança e cortiça e com cerca de 32,5 cm. de altura, produzida pela Arfai, de Alcobaça.

 

Fundada em 1992 como simples empresa de comercialização de produtos cerâmicos, a Arfai iniciou em 1995 a sua própria produção. Actualmente afirma-se como uma das indústrias cerâmicas portuguesas que assegura produção decorativa de alta qualidade, a nível da pasta de faiança fina, dos vidrados e revestimentos e do design.

 

As excelentes peças da Arfai, contudo, beneficariam da opção em reproduzir essas criações noutra pasta cerâmica mais resistente, como o barro vermelho duro ou o grés, pois a sua faiança fina revela-se muito frágil para um manuseamento intenso ou algo mais despreocupado.

 

Apesar dessa limitação técnica, grande parte da sua produção destina-se actualmente à exportação.

 

 

A Arfai tem colaborado com outras empresas do sector, como a Jomazé, na produção dos inúmeros modelos que cria e comercializa.

 

Uma vez que muita da sua produção se destina à exportação, nao é raro encontrar peças da Arfai sem qualquer marca, ou apresentando exclusivamente etiquetas em papel, ou, ainda, com marcas de outras empresas, como a que se reproduz abaixo.

 

As interessantes peças da Arfai voltarão a ser reproduzidas neste espaço, mas entretanto pode-se consultar o site da empresa aqui: http://www.arfaiceramics.com/index.php.

 

 

Jarra, com cerca de 17,8 cm. de altura, produzida na Arfai para a marca dinamarquesa Knabstrup Keramik.

 

Esta jarra, integrando uma série denominada Anna (cf. https://knabstrup.com/produkter?series=16#product-grid), existe em diferentes dimensões e em três tons distintos – neste verde mate e ainda em azul claro e em branco, com esmalte brilhante, correspondendo a um modelo inspirado numa peça anteriormente criada pelo escultor e designer Johannes Hansen (1903-1995), director artístico da KK entre 1953 e 1970.

 

A KK foi fundada em 1897 mas acabou por encerrar em 1988. Entretanto, a marca foi recuperada durante o corrente ano de 2017, recorrendo à comercialização de cerâmica produzida em regime de outsourcing.

 

Consulte-se a história da KK aqui: https://knabstrup.com/historie.

 

 

 

© MAFLS


Dezembro 02 2017

 

Conjunto de quatro pequenos azulejos, lambrilhas, parcialmente decorados a stencil (chapa recortada) e pintados à mão, sob o vidrado, com a combinação máxima de apenas três cores sobre o revestimento estanífero de fundo.

 

Com cerca de 7 cm. de lado, estas lambrilhas não apresentam qualquer marca no tardoz. Como já foi referido (http://mfls.blogs.sapo.pt/126700.html), a fábrica Viúva Lamego executou dezenas de peças com motivos populares semelhantes a estes, mas diversas outras fábricas e oficinas terão também seguido gramáticas equivalentes.

 

Note-se como dois dos motivos aqui apresentados reproduzem peças de cerâmica popular, motivos certamente desenvolvidos no âmbito da política e propaganda promotora e renovadora das artes populares que o SPN/SNI institucionalizou a partir da década de 1930.

 

© MAFLS


Novembro 26 2017

 

Pequena jarra, com cerca de 14 cm. de altura, em porcelana da Electro-Cerâmica do Candal, Vila Nova de Gaia.

 

Um novo exemplar ilustrando uma das combinações decorativas mais comuns da fábrica – secções parcialmente esmaltadas a uma só cor, motivos florais estampados, filetagem a dourado.

 

 

© MAFLS


Novembro 18 2017

 

Pequena jarra, com cerca de 13,2 cm. de altura, apresentando decoração escorrida.

 

Embora não ostente qualquer marca na base, decoração escorrida semelhante a esta é característica, em Portugal, da produção de várias fábricas das Caldas da Rainha.

 

© MAFLS


Novembro 12 2017

 

Chávena de chá, e pires, em porcelana da Vista Alegre, Ílhavo.

 

Este conjunto apresenta decoração floral pintada à mão complementada com espessa filetagem, interior e exterior na taça, a ouro.

 

 

Embora este conjunto apresente marca correspondente ao período de 1922-1968, o formato das peças, particularmente o facto de a chávena não apresentar qualquer asa e o alto rebordo do pires, remete para a tradição dos formatos de final do século XVIII e princípio do século seguinte.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Novembro 04 2017

 

Pequeno prato em faiança, com cerca de 23 cm. de diâmetro, apresentando decoração floral policromática pintada à mão sob o vidrado.

 

Não apresenta qualquer marca visível no tardoz, mas insere-se na tipologia dos pratos com abas reticuladas produzidos em diversas regiões cerâmicas portuguesas (cf. http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/abas+recortadas).

 

Pelo tipo de pasta, considerando a sua cor e o seu peso, poderá especular-se que seja uma peça oriunda da região de Alcobaça ou do polígono cerâmico delimitado por esta localidade, Leiria e Pombal.

 

© MAFLS


Outubro 29 2017

 

Cinzeiro em faiança da efémera fábrica Faianças GAL, de Lisboa.

 

Como é característica das peças desta fábrica, o formato, a decoração e as cores traduzem uma gramática declaradamente modernista.

 

 

© MAFLS


Outubro 21 2017

 

Jarra, com cerca de 21,7 cm. de altura, em faiança da fábrica Sant'Anna, Lisboa.

 

Como é tradicional na produção desta fábrica, a peça ostenta decoração pintada à mão, o mesmo acontecendo com a marca e as iniciais do/a pintor/a.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Outubro 15 2017

 

Pequena jarra, com cerca de 12 cm. de altura, em porcelana da Electro-Cerâmica do Candal, Vila Nova de Gaia.

 

Este exemplar ilustra uma das combinações decorativas mais comuns da fábrica – secções parcialmente esmaltadas a uma só cor, motivos florais estampados, filetagem a dourado.

 

 

© MAFLS


Outubro 07 2017

 

Conjunto em cerâmica vidrada, com cerca de 32,2 x 22,2 x 9,3 cm., representando cinco bananas assentes sobre folhagem. 

 

Não apresenta qualquer marca visível, mas conjuntos semelhantes a estes foram produzidos em diversas oficinas e fábricas portuguesas, particularmente nas regiões de Barcelos e Caldas da Rainha.

 

O livro de Adélio Macedo Correia (n. 1943), João Macedo Correia (1908-1987): O Legado de um Ceramista, recentemente publicado, apresenta um conjunto algo diferente deste, mas com vidrado, colorido, composição e dimensões semelhantes, atribuído à Fábrica de Cerâmica de Joaquim Macedo Correia, em Barcelos.

 

© MAFLS

 


mais sobre mim
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar