Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Fevereiro 14 2013

 

Pequena figura de um menino e gazela em barro parian apresentando incisa, na parte superior da base, a assinatura "Clariano" (Clariano Casquinha da Costa, n. 1929, activo na FLS durante as décadas de 1950 e 1960).

 

O exemplar da tabela de Maio de 1960 existente no CDMJA refere esta figura sob o número 661 com a designação "Figura de Gazela" ao preço de 100$00, acrescentando uma nota manuscrita que o seu peso é de 85 gramas.

 

Esta figura já não se encontra referenciada na tabela de Maio de 1979.

 

Fotografias da peça por Hector Castro, coleccionador e proprietário deste exemplar, a quem se agradece a cedência das imagens.

 

 

© MAFLS


Dezembro 06 2012

 

Figura em barro Parian, com cerca de 22,2 cm. de altura, representando um guerreiro espartano.

 

A peça aqui reproduzida surgia já na tabela de Maio de 1960, sob o número 712 e a designação "Figura Soldado Grego", ao preço de 250$00. O exemplar desta tabela existente no CDMJA indica que peso desta peça é de 110 gramas. A tabela de Maio de 1979 ainda regista esta figura sob o número 9504, ao preço de 727$00, o mesmo preço de uma figura de soldado romano, número 9505, que entretanto havia sido também comercializada pel FLS.

 

Esta é uma das duas versões que se conhecem. Na outra versão, os calcanhares da figura encontram-se mais juntos, originando essa posição um ângulo agudo com abertura em direcção aos dedos dos pés. Nessa versão, o escudo apresenta ainda uma decoração estriada no rebordo.

 

Sendo uma estatueta que já existia em 1960, é muito provável que o seu original tenha sido modelado por Clariano Casquinha da Costa (n. 1929, activo na FLS durante as décadas de 1950 e 1960) ou Armando Mesquita (1907-1982).

 

Note-se a ausência da curta lâmina da espada que, tal como acontece em outras armas de figuras militares da FLS (http://mfls.blogs.sapo.pt/35956.html), seria em metal.

 

Este exemplar não ostenta também a representação em barro Parian das crinas, ou plumas, curvadas que rematam o capacete no modelo completo e aproximariam a sua altura total dos 24 centímetros.

 

 

© MAFLS


Novembro 22 2012

© CDMJA/MCS

 

Folha, com desenho do formato Arte Nova A-54 da FLS, que se encontra depositada nos arquivos do Centro de Documentação Manuel Joaquim Afonso/Museu de Cerâmica de Sacavém. 

 

Na tabela de Maio de 1960 esta peça surge com a referência A-54, sob a designação "Barco", ao preço de 270$00 para "colorido s/ ouro". No exemplar dessa tabela existente no CDMJA uma anotação manuscrita indica que o seu peso é de 2.500 gramas. Na tabela de Maio de 1979 a peça já surge com a referência 9426, sob a designação "Barco (A-54)", ao preço de 580$00. 

 

A reprodução desta imagem é uma cortesia do CDMJA/MCS.

 

© MAFLS


Novembro 14 2012

 

Figura de um potro em barro parian apresentando incisa, na parte superior da base, a assinatura "A. Moreira" (António Moreira, datas desconhecidas, activo na FLS durante as décadas de 1960 e 1970).

 

Um exemplar da tabela de Maio de 1960 existente no CDMJA, cuja numeração impressa acaba na peça número 726, apresenta uma adenda manuscrita de novas peças até ao número 759, onde esta surge sob o número 755 e a designação "Fig. de Poldro" sem qualquer indicação de preço, embora se registe que a peça pesa 240 gramas.

 

Esta figura já não se encontra referenciada na tabela de Maio de 1979.

 

Fotografias da peça por Hector Castro, coleccionador e proprietário deste exemplar.

 

 

© MAFLS


Setembro 13 2012

 

Estatueta em barro parian (biscuit) representando o clássico mito de Leda e o Cisne.

 

Modelada por Clariano Casquinha da Costa (n. 1929, activo na FLS durante as décadas de 1950 e 1960), e com cerca de 23,6 cm. de altura, esta figura surge referenciada na tabela de Maio de 1960 sob o número 643, "Figura de Leda com cysne", ao preço de 220$00 e, segundo cópia desta tabela existente no CDMJA, com o peso de 243 gramas.


Esta peça surge ainda na tabela de Maio de 1979 sob o número 9503, ao preço de 727$00.


O mito de Leda foi também tratado em peças de outras fábricas portuguesas, como a VA, havendo ainda registo de Leonel Cardoso (1898-1987) ter executado uma versão com a figura deitada, em faiança com acabamento craquelé, peça não marcada e classificada como exemplar único no já referido catálogo de 1989 (http://mfls.blogs.sapo.pt/11619.html).


Do mesmo modo, sabe-se que Armando Mesquita (1907-1982) executou um modelo em gesso representando este mito, como se pode ver na página 68 do catálogo da exposição Armando Mesquita: Para Além do Visível, organizada pelo MCS em 2004.

 

 

© MAFLS


Julho 17 2012

 

Cavaleiro tauromáquico em biscuit, designado na FLS como barro Parian, com as dimensões aproximadas de 21,8 x 17,5 x 7,6 cm.

 

As figuras da FLS relacionadas com cavalos e tauromaquia parecem ter  sido essencialmente modeladas por Leonel Cardoso (1898-1987), que criou aquela que será a figura de toureio a cavalo mais conhecida da fábrica (cf. http://mfls.blogs.sapo.pt/11619.html) e um medalhão em barro parian dedicado ao cavaleiro João Núncio (1901-1976), e Armando Mesquita (1907-1982), que executou diversos modelos de cavalos e figuras equestres, particularmente para a série de cavaleiros militares (http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/militaria).

 

Através de uma pequena estátua em bronze, Armando Mesquita homenageou também o cavaleiro tauromáquico Joaquim José Correia (1945-1966), seu sobrinho, falecido na sequência de uma colhida sofrida na praça de touros do Campo Pequeno, em Lisboa.

 

Existiram ainda mais dois modeladores da FLS que executaram figuras de cavalos produzidas em barro Parian – o já mencionado Clariano Casquinha da Costa (n. 1929, activo na FLS durante as décadas de 1950 e 1960) e António Moreira (datas desconhecidas), que lhe sucedeu na FLS. Segundo Clive Gilbert (n. 1938), o primeiro executou, entre outras peças, um modelo da égua Aureole, que venceu a corrida de Epsom em 1953, e o segundo uma estatueta equestre do visconde de Turenne e duque de Bouillon, Henri de la Tour d'Auvergne (1555-1623).

 

A figura apresentada acima não ostenta qualquer assinatura visível, mas uma fotografia existente no CDMJA e exibida na exposição Percurso Documental pelos Artistas da Fábrica de Loiça de Sacavém, realizada no MCS em 2007, atribui a sua autoria a Clariano Casquinha da Costa.

 

Note-se, aliás, a semelhança de traços faciais, particularmente do nariz, entre esta peça e alguns dos putti de sua autoria que já foram aqui apresentados (http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/clariano casquinha da costa). 

 

Da produção da FLS em barro Parian conhecem-se ainda mais dois cavaleiros tauromáquicos, com diferente modelação e diferentes dimensões – um maior do que este, outro menor, eventualmente modelados também por Clariano Casquinha da Costa.

 

No exemplar da tabela de preços de 1960 existente no CDMJA refere-se que o preço desta peça, catalogada sob o número 702 e a designação "Cavaleiro Tauromáquico", é de 350$00, sendo o seu peso de 520 gramas.

 

As peças em barro Parian da FLS ainda se produziam em 1979, como se pode constatar na tabela de preços de 15 de Maio desse ano, onde surgem referenciados 27 exemplares. Nessa tabela, este "Cavaleiro Tauromáquico" surge a 1.077$00, sob a referência 9524, que se pode ver abaixo.

 

 

© MAFLS


Junho 07 2012

 

Pequena figura de corça em barro parian, com cerca de 8,4 x 8,8 x 4,7 cm., apresentando incisa na parte superior da base a assinatura "Clariano" (Clariano Casquinha da Costa, n. 1929, activo na FLS durante as décadas de 1950 e 1960).

 

Não existe consenso quanto às datas de actividade de Clariano Casquinha da Costa na FLS – segundo os dados da exposição Percurso Documental pelos Artistas da Fábrica de Loiça de Sacavém, realizada no MCS em 2007, tal terá ocorrido entre 1958 e 1974. Segundo Clive Gilbert (n. 1938), último proprietário da FLS, Clariano Casquinha da Costa terá saído da FLS em 1965, indo trabalhar para a fábrica de Valadares.

 

Note-se ainda que os dados constantes da referida exposição são contraditórios, pois ali se exibiu a fotografia de um cavaleiro tauromáquico da autoria de Clariano Casquinha da Costa, com a indicação de que a peça se encontra já referenciada na tabela de 1951, quando as datas apontadas para a sua actividade na FLS são 1958-1974.

 

Esta peça encontra-se referenciada na tabela de Maio de 1960 sob o número 661 e a designação "Figura Gazela", ao preço de 100$00, não surgindo já na tabela de Maio de 1979.

 

No exemplar da tabela de preços de 1960 existente no CDMJA refere-se que o seu peso é de 85 gramas.

 

Esta e outras execuções escultóricas (cf. http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/clariano+casquinha+da+costa) colocam Clariano Casquinha da Costa ao nível dos melhores modeladores da FLS, como Armando Mesquita (1907-1982), e da cerâmica portuguesa.

 

 

© MAFLS


Março 17 2012

© MCS/CDMJA 

 

Detalhe de uma fotografia não datada, mas provavelmente da década de 1950, de uma das montras da loja da FLS na Avenida da Liberdade, em Lisboa.

 

Esta imagem documenta seis estatuetas militares apeadas e sete equestres da série alusiva à Guerra Peninsular. Modeladas por Armando Mesquita (1907-1982), estas peças começaram a ser produzidas a partir de 1945 e muitas delas ainda constavam da tabela de 15 de Maio de 1979.

 

A maior colecção privada, conhecida, destas figuras militares da FLS — The Horward Collection — integra 31 estatuetas equestres e apeadas, que foram exibidas em 1989 na University Art Gallery, da Florida State University, por ocasião do bicentenário da Revolução Francesa.

 

Eis a lista dessas peças elaborada pelo próprio coleccionador americano, com o número de referência constante do catálogo de 1979 — 9600, Oficial de Caçadores 2; 9601, Soldado de Caçadores 2; 9602, Oficial de Infantaria 19; 9603, Soldado de Infantaria 19; 9604, Oficial de Infantaria 6; 9605, Soldado de Infantaria 6; 9606, Cabo Ordenança da 18. Brigada; 9607, Servente de Artilharia 1; 9608, Oficial Escocês; 9609, Soldado Escocês; 9610, Oficial de Infantaria Britânica; 9611, Soldado de Infantaria Britânica; 9612, Soldado de Caçadores Britânicos; 9613, Oficial do Regimento 14 de Dragões; 9614, Soldado Voluntário Reais do Comércio; 9615, Oficial do Regimento Scots Greys; 9616, Soldado da Legião de Alorna; 9617, Oficial do Regimento Life Guards; 9618, Oficial de Cavalaria 2; 9619, Oficial de Cuirassier; 9620, Oficial Colonel General; 9621, Oficial La Grande Armée; 9622, Oficial Colonel; 9637, Soldado da Leal Legião Lusitânia; 9639, Soldado do Regimento do Conde de Lippe; 9640, Oficial do Regimento do Conde de Lippe; 9641, Soldado Tambor do Regimento de Infantaria de Campo Maior; 9643, Oficial do Conde de Lippe a Pé; 9644, Oficial Rifle Brigade; [408-A], Soldado de Caçadores 7; [735?], Sargento do Regimento do Conde de Lippe.

 

Segundo declarações do mesmo, os exemplares que integram a sua colecção foram adquiridos entre 1967 e 1984, estando os dois últimos indicados com o número de referência da tabela de 1960 por já não constarem da de 1979. Nesta tabela de 1979, as figuras apeadas surgem a 700$00 e as figuras equestres a 1.750$00, surgindo ainda estatuetas equestres da série medieval a 4.036$50.

 

As quinze figuras da série Guerra Peninsular já apresentadas nesta espaço, 14 das quais do acervo do Museu Leonel Trindade, em Torres Vedras, podem ser vistas aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/militaria.

 

A reprodução desta fotografia é uma cortesia do Museu de Cerâmica de Sacavém / Centro de Documentação Manuel Joaquim Afonso.

 

© MAFLS


Março 11 2012

© CDMJA/MCS

 

Folha, com desenhos para cinco diferentes formatos Arte Nova da FLS, que se encontra depositada nos arquivos do Centro de Documentação Manuel Joaquim Afonso/Museu de Cerâmica de Sacavém. 

 

À esquerda, em baixo, observa-se o desenho correspondente à jarra formato A–21 apresentada há algumas semanas no espaço CMP* – http://ceramicamodernistaemportugal.blogspot.com/2012/02/gomil-fabrica-de-loica-de-sacavem.html#comment-form.

 

Na tabela de Maio de 1960 esta peça surge com a referência A-21, sob a designação "Jarro [sic] n.º 4", ao preço de 100$00 para "colorido s/ ouro". No exemplar dessa tabela existente no CDMJA uma anotação manuscrita indica que o seu peso é de 380 gramas. Na tabela de Maio de 1979 a peça já surge com a referência 9408, sob a designação "Jarra n.º 4 (A-21)", ao preço de 187$00. 

 

Note-se também, logo a seguir, a jarra número 2 (A-23), cujo formato foi anteriormente aqui ilustrado (cf. http://mfls.blogs.sapo.pt/21995.html). Esta jarra já não se encontra referenciada na tabela de 1979.

 

A reprodução desta imagem é uma cortesia do CDMJA/MCS.

 

© MAFLS


Outubro 13 2011

 

Grupo escultórico em biscuit, designado na FLS como barro Parian, representando três faunos.

 

Embora a assinatura não se encontre visível, esta é indubitavelmente uma obra de Clariano Casquinha da Costa (n. 1929, activo na FLS durante as décadas de 1950 e 1960), tal como as duas outras anteriormente aqui reproduzidas (cf. http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/clariano+casquinha+da+costa).

 

No exemplar da tabela de preços de 1960 existente no CDMJA refere-se que o preço desta peça, catalogada sob o número 622 e a designação "Grupo de faunos (3 figuras)", é de 250$00, sendo o seu peso de 270 gramas.

 

A marca incisa na base regista apenas a inscrição Made in Portugal / Sacavem. É possível que esta seja já uma peça de produção tardia, pois conhece-se um exemplar em que o número 622 é bem visível.

 

Além disso, nesse exemplar, todo o conjunto da marca se encontra em alto-relevo e não inciso, como nesta peça e nas outras duas anteriormente apresentadas.

 

As peças em barro Parian da FLS ainda se produziam em 1979, como se pode constatar na tabela de preços de 15 de Maio desse ano, onde surgem referenciados 27 exemplares.

 

Nessa tabela, este "Grupo de faunos", com a referência 9501, surge a 673$00.

 

 

© MAFLS


mais sobre mim
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28
29

30


pesquisar