Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Junho 25 2017

 

Conjunto de bule, chávena e pires produzido pela Vista Alegre no último quartel do século XX, por encomenda da Mottahedeh e The Museum of Modern Art, de Nova Iorque, que detem o copyright e o comercializou na sua loja.

 

As peças reproduzem fielmente motivos suprematistas criados por Nicolai Suetin (1897-1954) e aplicados em 1923 na produção da fábrica soviética de porcelana de Petrograd.

 

 

Texto Suprematismo De Stijl

 

 

Texto

 

Sublinhe-se que a obra do notável pintor português Nadir Afonso (1920-2013) radica em princípios próximos daqueles que foram estabelecidos por estes dois movimentos do século XX (http://www.nadirafonso.com/obra/periodos/), podendo ver-se a taça Copacabana, lançada em 2011 pela VA com base numa tela de sua autoria, aqui: (http://mfls.blogs.sapo.pt/122862.html).

 

Este artista tem, em Portugal, dois notáveis edifícios consagrados à sua obra – o Centro de Artes Nadir Afonso (http://architizer.com/projects/centro-de-artes-nadir-afonso/), em Boticas, concebido pelo gabinete da arquitecta nova-iorquina Louise Braverman (datas desconhecidas; http://www.louisebravermanarchitect.com/), e inaugurado em 2013, e o recentemente inaugurado, em Julho de 2016, Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso (http://www.archdaily.com.br/br/791205/museu-de-arte-contemporanea-nadir-afonso-alvaro-siza-vieira), em Chaves, concebido por Álvaro Siza Vieira (n. 1933).

 

Lamentavelmente, ainda nenhuma das instituições desenvolveu um website específico para estes projectos.

 

 

© MAFLS


Maio 28 2017

 

Jarra em porcelana da Vista Alegre, com decoração minalista repetitiva, a verde, sobre fundo creme.

 

Veja-se uma jarra com o mesmo motivo e considerações sobre o seu formato, e a sua eventual origem de influência estrangeira, que não se restringirá apenas à produção da fábrica alemã Rosenthal e se alargará à produção inglesa, e de outras nacionalidades, aqui: http://modernaumaoutranemtanto.blogspot.pt/2013/01/jarra-art-deco-com-riscas-verdes-vista.html.

 

 

© MAFLS


Abril 22 2017

Manteigueira, com decoração floral estampada, em porcelana da Vista Alegre.

 

Apresenta uma marca VA, aplicada a carimbo, com apenas um ponto visível, e muito afastado, a seguir ao V. Eventualmente, poderá tratar-se de uma variante muito incompleta e não catalogada da marca habitualmente referida sob o número 24, correspondente ao período de 1881 a 1921, ou mesmo de uma variante incompleta da marca 29 (1922-1947), o que parece mais provável.

 

De qualquer modo, o carimbo complementar da Mercearia do Povo, de J. P. Martins, em Chaves, corresponde a uma loja cuja actividade publicitária está documentada na imprensa flaviense da última década do século XIX.

 

 

© MAFLS


Dezembro 17 2016

 

Estatueta em porcelana da Vista Alegre, com cerca de 21,4 cm. de altura, representando uma figura feminina em trajo regional do Douro Litoral e ostentando a marca VA correspondente ao período de 1947 a 1968.

 

Como já foi anteriormente referido (http://mfls.blogs.sapo.pt/190317.html), esta peça integra um conjunto de treze figuras regionais que o consagrado escultor, modelador e gravador coimbrão Cabral Antunes (1916-1986) criou para esta empresa, em 1956.

 

Através de uma análise comparativa, é possível verificar como o exemplar em biscuit da Sociedade de Porcelanas ilustrado no referido artigo apresenta inegáveis semelhanças estilísticas com estas estatuetas da VA.

 

 

© MAFLS

 


Novembro 13 2016

 

Conjunto de pires e chávenas de café, em porcelana da Vista Alegre, apresentando motivos criados, na viragem do século XX para o século XXI, pela artista plástica Sofia Areal (n. 1960).

 

Ao contrário do que acontece nas chávenas, que têm cerca de 5,6 cm. de altura e também 5,6 cm. de diâmetro, a decoração dos pires, que têm cerca de 11,6 cm. de diâmetro, remete claramente para a gramática pictórica do conceituado pintor catalão Joan Miró (1893-1983).

 

Consulte-se o site da artista aqui: http://sofiaareal.com/sofiaareal/.

 

 

© MAFLS


Julho 17 2016

 

Castiçal em porcelana da Vista Alegre, com bobèches amovíveis, medindo cerca de 18,9 x 25,2 x 5,1 cm.

 

Esta peça ostenta a marca correspondente ao período de 1947 a 1968.

 

 

© MAFLS


Abril 24 2016

 

Par de pequenos castiçais, com cerca de 5,1 cm. altura e 7 cm. de diâmetro máximo, em porcelana da Vista Alegre.

 

Não é vulgar encontrar este modelo de castiçal com tais tonalidades. O mais comum é apresentar o fundo branco de porcelana decorado a dourado, ou outras cores, como se pode observar no catálogo do III Leilão Vista Alegre, realizado em 1999.

 

Nesse leilão, o lote 286, correspondente a dois castiçais, foi licitado por 30.000$00 (cerca de 150 euros).

 

Muitas vezes, as histórias dos antiquários, ou mesmo das famílias que se desfazem de peças sobre as quais a memória da sua origem se desvaneceu, são negligenciáveis quanto a uma indicação segura de proveniência das mesmas.

 

Neste caso, sem reparar certamente nas suas cores, a antiquária assegurou que os exemplares provinham de uma família de antigos diplomatas. Uma proveniência aliciante para justificar esta combinação cromática, onde surgem as cores nacionais.

 

Se considerarmos ainda que a Vista Alegre produziu, e produz, várias peças por encomenda institucional, e a isto somarmos o facto de existirem documentos comprovativos do facto de Raul Lino (1879-1974) haver desenhado, por exemplo, peças da VA para a Legação de Portugal em Berlim, no início da década de 1940, poderíamos ter uma explicação sedutora e plausível para esta decoração.

 

Pena é que a etiqueta presente numa destas peças se assemelhe mais a um registo comercial do que a um registo de inventariação institucional...

 

 

© MAFLS


Abril 09 2016

 

Busto, com cerca de 20,4 cm. de altura, em biscuit da Vista Alegre, de Ílhavo.

 

Esta peça reproduz a escultura intitulada Flor Agreste, a partir de uma variante esculpida em 1878 por António Manuel Soares dos Reis (1847-1889).

 

Juntamente com O Desterrado (1872) e a Viscondessa de Vinhó e Almedina (1882?), esta será uma das esculturas em mármore mais famosas deste artista gaiense, que se suicidou antes de cumprir 42 anos.

 

 

Embora se pudesse pensar que a VA reproduziu esta peça por altura do centenário da sua criação ou no centenário do falecimento do escultor, a verdade é que se conhecem exemplares ostentando a marca da empresa correspondente ao período de 1968 a 1971.

 

Veja-se notícia sobre algumas peças deste escultor existentes no acervo do Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, aqui: http://www.museusoaresdosreis.pt/pt-PT/coleccao/esculturamnsr/ContentList.aspx.

 

 

© MAFLS


Janeiro 03 2016

 

Pequena caixa em porcelana lapidada da VA, concebida pela designer Diana Borges (datas desconhecidas).

 

Para além das três peças que integram a série Plissé (http://red-dot.de/pd/online-exhibition/work/?lang=en&code=04-03248-2015&y=2015&c=181&a=0), também o serviço de mesa Orquestra (http://red-dot.de/pd/online-exhibition/work/?lang=en&code=04-05173-2015&y=2015&c=181&a=0) da VA recebeu galardão semelhante em 2015.

 

Diana Borges concluiu a sua licenciatura em Design de Comunicação e Técnicas Gráficas, em 2005, na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Portalegre, tendo depois ingressado na SPAL, onde criou um conjunto, denominado Blue Rain, que também foi distinguido no concurso Design Plus 2010 (http://dbdesign.blogs.sapo.pt/780.html).

 

 

O Red Dot Design Award (http://en.red-dot.org/71.html) é concedido anualmente pelo Design Zentrum Nordrhein Westfalen, sedeado em Essen, na Alemanha, a objectos e projectos enquadráveis em trinta e uma diferentes categorias. Para o galardão de 2015 o painel de jurados foi constituído por vinte elementos, das mais diversas nacionalidades.

 

Como se pode verificar pela imagem apresentada abaixo, a série Plissé, quanto ao seu formato, evoca claramente caixas semelhantes da série Sarastro, lançada pela fábrica alemã Rosenthal e celebrizada pela sumptuosa decoração alusiva à ópera Die Zauberflöte, de Mozart (1756-1791), concebida pelo dinamarquês Bjørn Wiinblad (1918-2006).

 

 © Rosenthal

 

A grande inovação da série Plissé é a conjugação da tradicional técnica cerâmica com a intervenção dos lapidadores da Atlantis, resultando em peças que aliam uma exaustiva intervenção característica da indústria vidreira a um design onde os efeitos escultóricos são acentuados pela alternância de luz e sombra resultante do relevo da lapidação. 

 

A combinação das técnicas cerâmicas e vidreiras passou a ser aplicada na produção da VA quando a Atlantis integrou o grupo, havendo no início deste século sido lançadas já duas jarras globulares, uma com fundo negro, outra com fundo branco, onde a aplicação de dois círculos lapidados, não concêntricos e de diferente diâmetro, constituía o principal motivo decorativo das mesmas.

 

 

© MAFLS


Outubro 18 2015

 

Em cima, conjunto de bule, chávena de café e pires, em porcelana da Vista Alegre, com decoração floral estilizada ao gosto Pop Art característico das décadas de 1960 e 1970.

 

Em baixo, bule e chávena de chá com o mesmo formato mas diferente decoração.

 

Conjuntamente com outros formatos lançados também na década de 1960, nomeadamente Primavera (http://mfls.blogs.sapo.pt/149941.html) e Solteirinha (http://mfls.blogs.sapo.pt/outras-fabricas-outras-loicas-cxciii-294829), este constitui-se como paradigma das mais inovadoras propostas da VA nessa década e na seguinte, documentando uma contemporaneidade que se contrapõe aos modelos mais conservadores, quer de formatos quer de motivos, que a empresa viria a promover entre as décadas de 1970 e 1990.

 

 

Reproduz-se, de seguida, a contracapa da revista Modas e Bordados, número 3152, de 5 de julho de 1972, que, para além de publicitar a segunda loja da VA, também na zona do Chiado, em Lisboa, ilustra ainda duas outras decorações diferentes em bules com este mesmo formato.

 

 

As peças do primeiro conjunto apresentado neste artigo ostentam a marca VA correspondente ao período de 1947 a 1968, tal como o bule do segundo. No entanto, a chávena que acompanha este último apresenta a marca reproduzida abaixo.

 

Corresponde esta a uma variante do período 1968-1971, habitualmente não reproduzida nos diversos catálogos, livros e sites que divulgam registos históricos das marcas da empresa (http://vistaalegre.com/catalog/evolucaomarca.pdf).

 

A presente variante havia já sido registada anteriormente aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/265432.html.

 

 

© MAFLS


mais sobre mim
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30


pesquisar