Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Junho 15 2013

 

Palangana em faiança, com cerca de 9 cm. de altura e 26,2 cm. de diâmetro, apresentando decoração policromática esponjada, a vinoso de manganês e a amarelo, e pintada à mão, a azul, a verde de óxido de ferro e a vinoso, habitualmente designado também por morado.

 

Embora seja característica da faiança Ratinho, tradicionalmente conotada com a produção coimbrã do século XIX, decoração semelhante a esta foi ainda produzida durante o século XX na região de Alcobaça, nomeadamente na OAL, como se pode verificar na obra A Loiça de Alcobaça (2001), de João da Bernarda.

 

Sobre alguns formatos e motivos da faiança Ratinho vejam-se os diversos artigos de Luís Montalvão aqui: http://velhariasdoluis.blogspot.pt/search/label/faian%C3%A7a%3A%20ratinho, as várias publicações de Maria Andrade aqui: http://artelivrosevelharias.blogspot.pt/search/label/Faian%C3%A7a%20Ratinha, e um breve artigo, de uma blogger mais recente, aqui: http://tempohistorias.blogspot.pt/2013/04/os-ratinhos-e-faianca-ratinha.html.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Que belíssimo alguidar ratinho aqui nos trouxe caro MAFLS! Genuinamente coimbrão, com algumas mazelas do tempo, como eu gosto, e com uma das minhas decorações preferidas! Vejo que também se deixa seduzir pelas nossas faianças mais rústicas! Conheço as cópias de Alcobaça, mas são bem nítidas as diferenças - na pasta, no colorido, no tipo de pinceladas...
Parabéns pela peça!
Um abraço
Maria Andrade a 16 de Junho de 2013 às 21:58

Bom dia, Maria Andrade.

Ora aí está: alguidar. Uma belíssima palavra que quase me tirou da boca... O texto que estava agendado para aquele dia, e sairá no próximo dia 29, com uma peça bem menos interessante, anda à volta da sinonímia que muitas vezes enriquece o léxico sem que de facto estejamos a designar, strictu sensu, objectos ou formatos da forma mais correcta - alguidar, bacia, escudela, malga, palangana, taça, tigela...

As formas de reparar, e registar, as mazelas do tempo fascinam-me, de facto, particularmente quando tratamos de gatos, e não necessariamente dos do Fialho de Almeida ou do Rafael Bordalo Pinheiro... : )

Sim, as peças de Alcobaça, quando manuseadas e observadas directamente, e também sopesadas, são claramente distintas destas.

Lustrinas felicitações! ; )

Bem, mas aqui não se trata de sinonímia. Pelo que tenho visto e lido em catálogos, alguidar, bacia e palangana não são exatamente a mesma coisa, correspondem a diferentes tipologias de peças que se distinguem sobretudo pelo formato, mas também pela função. Já malga, escudela, taça e tigela penso que são sinónimos, uns termos mais arcaicos outros mais atuais. Fico a aguardar com interesse esse texto do dia 29.
(As felicitações só são aceites "in loco" :))
Maria Andrade a 19 de Junho de 2013 às 23:38

Precisamente. Referia-me à imprópria utilização sinonímica que tanto enriquece o léxico mas que nem sempre é precisa ou... apropriada, como acontece com a designação pires que anteriormente foi aqui discutida (http://mfls.blogs.sapo.pt/98900.html).

Lá terei que me deslocar então ao loco para apresentar as felicitações apropriadamente.

Saudações!

Bonita e elegante a sua peça de faiança ratinha. A paleta cromática, com o verde, azul, amarelo ocre e manganés identificam-na, de imediato.
As flores enquadram bem nos filamentos a apontar para a pluma de pavão, e a possível influencia mourisca.
Cumprimentos
if
if a 17 de Junho de 2013 às 16:08

Bom dia, Ivete Ferreira, e bem-vinda.

Grato pelo comentário especializado que aqui nos deixa.

Entretanto, a propósito da expressão "a sua peça", aproveito a oportunidade para desfazer um mal-entendido comum a diversos visitantes e comentadores deste espaço - o facto de as fotografias e os textos serem da minha autoria, e estarem sob ©, não implica necessariamente que as peças aqui divulgadas me pertençam, mesmo que a sua proveniência não esteja indicada.

Saudações!

MAFLS

mais sobre mim
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11

17
19
21

25
27



arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

pesquisar