Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Março 10 2019

Cafeteira formato Belga, com cerca de 18,8 cm. de altura, em porcelana da Sociedade de Porcelanas, de Coimbra.

 

Juntamente com os formatos Angola, Cúbico e Porto, este é um dos formatos dos serviços de café e chá da SP característicos do período Art Déco.

 

Vejam-se alguns exemplares de peças formato Porto, que erroneamente ostentam a designação Belga, aqui: https://mfls.blogs.sapo.pt/outras-fabricas-outras-loicas-ccxvii-324657.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Dezembro 29 2018

Caixa boleira, com cerca de 16,4 x 22,7 x 11,8 cm., em faiança da Companhia das Fábricas Cerâmica Lusitânia, Lisboa.

 

Este formato modernista, para além da filetagem e dos complementos a dourado, apenas apresenta na sua decoração um conjunto floral, de inspiração Art Déco, estampado sobre o vidrado.

 

Vejam-se outras caixas boleiras, desta e de outras fábricas e com igual ou diferente formato, aqui: https://mfls.blogs.sapo.pt/tag/caixas+boleiras.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Dezembro 29 2018

 

Figura em grés da fábrica francesa Denbac, com cerca de 22,4 x 32,6 x 11 cm., representando um antílope.

 

Seguindo uma tendência Art Déco comum a várias empresas cerâmicas internacionais, onde também se incluía a sua congénere de Vierzon, a Odyv, a Denbac produziu, durante este período, um conjunto de cerca de três dezenas de peças dedicadas à fauna.

 

Este número representa o dobro das peças criadas durante o período Art Nouveau, as quais, geralmente, mostravam a fauna – caracóis, gatos, escaravelhos, libélulas, peixes, ratos, não como motivo central e exclusivo das peças – alfineteiras, caixas, jarras, e outras, mas como complementos da sua forma.

 

Obviamente, a produção de tais peças no período Art Déco, representando animais de outros continentes que não o europeu, como este, está intimamente relacionada com as exposições coloniais que, vindo de uma tradição implementada em diversos continentes desde a segunda metade do século XIX, tiveram um novo fôlego, durante as décadas de 1920 e 1930, em países europeus como a Bélgica, a França, a Itália, os Países Baixos, ou o Reino Unido.

 

Em Portugal, como se sabe, também decorreu em 1934, pouco depois da promulgação do Acto Colonial (1930) e da Constituição (1933) do Estado Novo, nos jardins e no Palácio de Cristal do Porto, uma Exposição Colonial.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 00:01

Dezembro 25 2018

 

Caixa bomboneira, em faiança, com decoração Art Déco geometrizante.

 

Como acontece com muitas das peças provenientes desta origem, apenas ostenta uma marca de exportação, em Inglês, com a legenda "Made in Czechoslovakia", o que não permite identificar a fábrica que a produziu.

 

O número do seu formato, 14738, permite deduzir, contudo, que se trata de uma fábrica, provavelmente de origem austríaca, com um registo de produção que recua até ao século XIX, sendo anterior, portanto, à constituição da Checoslováquia enquanto estado unificado e independente, o que apenas ocorreu a partir de 1918.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 00:01

Setembro 25 2018

 

Inaugura-se na próxima quinta-feira, dia 27 de Setembro de 2018, pelas 18h30m, no Museu Nacional do Azulejo, em Lisboa, a exposição Tempos Modernos, consagrada à cerâmica industrial portuguesa do período que decorreu, essencialmente, entre as duas guerras mundiais.

 

A exposição apresentará, exclusivamente, peças da colecção de António Henrique Miranda e José Madeira Ventura, autores do blog Moderna Uma, Outra Nem Tanto (http://modernaumaoutranemtanto.blogspot.com/).

 

Esta será uma rara oportunidade para apreciar publicamente o acervo de uma das mais importantes colecções privadas de cerâmica industrial portuguesa do século XX, em particular do período que coincide com o estilo Art Déco.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Junho 10 2018

 

Pequena caixa em porcelana da Vista Alegre, Ílhavo.

 

Mais um exemplo das peças evocativas do período Art Déco - a designação flapper remete precisamente para as irreverentes jovens das décadas de 1920 e 1930, que a Vista Alegre tem desenvolvido nos últimos anos.

 

 

© MAFLS

 

publicado por blogdaruanove às 21:01

Abril 11 2018

 

Taça, formato Avenida, com decoração floral estampada sobre o vidrado.

 

Realizar-se-á no próximo 22 de Abril, domingo, pelas 15h00, nas instalações do Museu de Cerâmica de Sacavém, uma Assembleia Geral da Associação de Amigos da Loiça de Sacavém.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Abril 01 2018

 

Pequena jarra, com cerca de 16,3 cm. de altura, em porcelana da fábrica Vista Alegre, de Ílhavo.

 

A decoração desta peça foi executada à mão e apresenta um motivo marinho com algas. Curiosamente, um motivo semelhante foi também aplicado numa pequena jarra, em faiança, de outra fábrica da região, a S. Roque, de Aveiro, como já foi anteriormente documentado aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/outras-fabricas-outras-loicas-cccxxxvi-385770.

 

Um outro exemplar deste formato art déco da VA, ostentando uma decoração minimalista repetitiva mas também com marca do período 1922-1947, já tinha sido aqui apresentado: http://mfls.blogs.sapo.pt/outras-fabricas-outras-loicas-cccxxv-382563.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Outubro 11 2017

 

Leiteira formato Granja com decoração vegetal de inspiração Art Déco.

 

Este motivo, pintado à mão sobre o vidrado, é semelhante a outros motivos que surgiram na cerâmica inglesa durante as décadas de 1920 e 1930, nomeadamente na produção de Clarice Cliff (1899-1972) e das fábricas Royal Doulton e Shelley.

 

Uma chávena de chá e pires com o mesmo motivo aparece reproduzida no livro Fábrica de Loiça de Sacavém (1997), de Ana Paula Assunção (n. 1957), embora uma gralha da legenda refira que este é um motivo Arte Nova (Art Nouveau).

 

Obviamente, esta classificação não se deve confundir com a das peças da série Arte Nova (cujo trocadilho na designação é intencional) que a FLS produziu a partir da década de 1950.

 

 

 © MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Outubro 01 2017

 

Açucareiro, com cerca de 10,2 x 14,9 cm., e 10,4 cm. de diâmetro máximo, em porcelana da Vista Alegre.

 

Constitui, na simplicidade do seu motivo essencialmente assente na filetagem, um dos mais elegantes e interessantes exemplos dos formatos Art Déco, desta fábrica, com decoração minimalista.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

mais sobre mim
Março 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar