Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Setembro 01 2019

 

Breve chamada de atenção para um novo catálogo que em breve será publicado, apresentando mais um conjunto de reflexões sobre a consagrada produção bordaliana, desta vez com um inovador destaque na capa.

 

Realce-se o conceito subjacente a esta imagem, uma vez que centra a nossa atenção numa quase ignorada abordagem cerâmica de Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905), aquela que o coloca a par do que se fazia na vanguarda de outros centros cerâmicos contemporâneos, como em França, na fábrica de Sarreguemines, ou nos EUA, na olaria que George Ohr (1857-1918) mantinha em Biloxi, Mississipi – a desconstrução intencional da forma cerâmica simétrica e perfeitamente acabada.

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 19:01

Março 28 2018

 

Numa invulgar operação de marketing e filantropia, a Fábrica Bordallo Pinheiro, das Caldas da Rainha, ofereceu esta semana duas peças de cerâmica à Junta de Freguesia do Areeiro e à cidade de Lisboa.

 

Em cerimónia que teve lugar no passado dia 26 de Março, uma escultura, de grandes dimensões, de um gato assanhado e uma peça de mobiliário urbano, um banco, também com um caracol de grandes dimensões, revestido a azulejos com motivos bordalianos, foram inauguradas na zona sul da Praça de Londres e num extremo da Rua Guerra Junqueiro.

 

 

A escultura do gato assanhado reproduz um modelo bordaliano criado em 1896. Na tarde do evento, foram oferecidas a alguns visitantes e clientes da loja Bordallo Pinheiro, na Rua Guerra Junqueiro, réplicas, de pequena dimensão, dessa figura.

 

Foram ainda distribuídos vouchers de 10% de desconto para aquisição de peças na mesma loja.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Junho 21 2015

 

O programa Perdidos e Achados, do canal SIC Notícias, divulgou ontem uma peça, intitulada Viagem pela Cerâmica Portuguesa, sobre a cerâmica portuguesa, em geral, e sobre a produção das Caldas da Rainha, em particular.

 

Nesta peça televisiva, com 13 minutos e 21 segundos de duração, que ao longo da semana vinha sendo anunciada com o título genérico "A Arte em Cacos", registam-se depoimentos de antigas funcionárias da Secla, de gestores empresariais, de marchands, de curadores, de coleccionadores e de investigadores de cerâmica, entre os quais surge a incontornável autora do blog Cerâmica Modernista em Portugal (http://ceramicamodernistaemportugal.blogspot.pt/), Rita Gomes Ferrão.

 

A propósito da produção de outras notáveis regiões cerâmicas portuguesas, como a região de Aveiro, reproduz-se aqui uma das muitas e excelentes peças que foram comercializadas pela, também incontornável, fábrica Aleluia durante as décadas de 1950 e 1960.

 

Veja-se a reportagem da SIC Notícias aqui: http://sicnoticias.sapo.pt/programas/perdidoseachados/2015-06-20-Viagem-pela-ceramica-portuguesa.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Março 02 2014

 

Pratos rasos em faiança, produzidos na Oficina da Formiga, de Ílhavo, com decoração floral aplicada sobre papel recortado (stencil), sob o vidrado.

 

Note-se como o motivo central destes pratos produzidos na década de 1990 é exactamente o mesmo, registando-se apenas uma variação cromática.

 

Já a decoração dos rebordos é distinta, acompanhando as diferentes dimensões das peças – cerca de 21,2 cm. de diâmetro, no prato apresentado acima, e cerca de 27,2 cm. no exemplar apresentado abaixo.

 

 

Como se pode verificar no espaço da OF (http://oficinadaformiga.com/), a empresa, fundada por Jorge Saraiva (cujas iniciais surgem associadas à marca) no ano de 1992, dedica-se essencialmente à produção de réplicas:

 

"As peças da Oficina da Formiga são reproduções fieis dos formatos e motivos de louça utilitária, fabricadas na segunda metade do século XIX e primeira metade do século XX provenientes de diversas unidades industriais nacionais que já encerraram, nomeadamente de Aveiro, Coimbra, Lisboa, Sacavém, Caldas da Rainha e Gaia."

 

Efectivamente, uma rápida mas atenta observação dos motivos que se podem encontrar nos diversos pratos desta oficina, permite identificar nas peças actualmente comercializadas decorações da FLS (http://mfls.blogs.sapo.pt/158530.html) e da fábrica do Cavaco (http://mfls.blogs.sapo.pt/238099.html), entre outras.

 

No entanto, a empresa tem ensaiado recentemente variantes aos motivos decorativos tradicionais e alternativas às réplicas integrais, nomeadamente através da formulação de convites para residências artísticas.

 

Floreira Archeiro numa montra da loja Vista Alegre do Chiado, em Lisboa.

 

O artista brasileiro Fábio Carvalho, cujo blog Porcelana Brasil (http://porcelanabrasil.blogspot.pt/) já tinha sido aqui destacado em Dezembro de 2011 (http://mfls.blogs.sapo.pt/2011/12/15/), foi há alguns anos convidado, conjuntamente com outros artistas brasileiros, pela fábrica Bordallo Pinheiro para conceber uma peça que celebrasse a herança bordaliana. 

 

Na sequência desse convite, de que resultou a peça reproduzida acima, e das exposições que se organizaram no Brasil e em Portugal para expôr as peças de todos os artistas convidados, Fábio Carvalho deslocou-se novamente a Portugal em 2013.

 

Aproveitando essa estadia, a Oficina da Formiga endereçou ao artista um convite para residência artística nas suas instalações, a qual veio a concretizar-se em Dezembro passado.

 

O resultado dos trabalhos desenvolvidos nessa residência, onde as asas de borboleta, evidente alusão ao termo fairy nas suas diversas acepções, colocadas na figura daquele arqueiro que Fábio Carvalho recriou para a Bordallo Pinheiro e tanto evoca D. João VI, voltam a surgir, desta vez na figura de militares brasileiros, pode ser visto no blog da OF: http://oficinadaformiga.com/fabio-carvalho-em-residencia-artistica-na-oficina-da-formiga-%E2%80%A2-fabio-carvalho-in-artistic-residency-at-ofceramics/.

 

     

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

mais sobre mim
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

pesquisar