Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Junho 07 2012

 

Pequena figura de corça em barro parian, com cerca de 8,4 x 8,8 x 4,7 cm., apresentando incisa na parte superior da base a assinatura "Clariano" (Clariano Casquinha da Costa, n. 1929, activo na FLS durante as décadas de 1950 e 1960).

 

Não existe consenso quanto às datas de actividade de Clariano Casquinha da Costa na FLS – segundo os dados da exposição Percurso Documental pelos Artistas da Fábrica de Loiça de Sacavém, realizada no MCS em 2007, tal terá ocorrido entre 1958 e 1974. Segundo Clive Gilbert (n. 1938), último proprietário da FLS, Clariano Casquinha da Costa terá saído da FLS em 1965, indo trabalhar para a fábrica de Valadares.

 

Note-se ainda que os dados constantes da referida exposição são contraditórios, pois ali se exibiu a fotografia de um cavaleiro tauromáquico da autoria de Clariano Casquinha da Costa, com a indicação de que a peça se encontra já referenciada na tabela de 1951, quando as datas apontadas para a sua actividade na FLS são 1958-1974.

 

Esta peça encontra-se referenciada na tabela de Maio de 1960 sob o número 661 e a designação "Figura Gazela", ao preço de 100$00, não surgindo já na tabela de Maio de 1979.

 

No exemplar da tabela de preços de 1960 existente no CDMJA refere-se que o seu peso é de 85 gramas.

 

Esta e outras execuções escultóricas (cf. http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/clariano+casquinha+da+costa) colocam Clariano Casquinha da Costa ao nível dos melhores modeladores da FLS, como Armando Mesquita (1907-1982), e da cerâmica portuguesa.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Março 10 2012

 

          

 

Duas pequenas figuras em faiança da fábrica Aleluia, Aveiro, com vidrado mate translúcido e bases pintadas a ouro.

 

A delicadeza e elegância destas duas corças são acentuadas pelo uso exclusivo do vidrado mate e do ouro, uma opção de acabamento característica de algumas peças de meados da década de 1950, que visava realçar o seu aspecto escultural.

 

Sendo habitualmente um acabamento reservado para peças de menores dimensões, devido ao custo do ouro, o seu uso é também conhecido em cinzeiros e pequenas jarras, mas com uma aplicação muito mais parcimoniosa de ouro, por vezes combinada com feéricos esmaltes multicoloridos (cf. http://blogdaruaonze.blogs.sapo.pt/371206.html).

 

As peças medem cerca de 8,6 cm. e 5,6 cm. de altura, apresentando esta última a referência X228-F.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

mais sobre mim
Maio 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18

20
21
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar
 
subscrever feeds