Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Junho 26 2011

 

 

 

Terrina em faiança da Fábrica de Massarelos, com o motivo Papoula estampado sob o vidrado e filetagem a dourado.

 

Note-se que, de acordo com a monografia sobre Massarelos anteriormente citada, esta marca corresponderá ao período de 1904 a 1912. 

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Maio 01 2011

 

Terrina da fábrica de Massarelos com o motivo Cedro aplicado sobre o vidrado. 

 

Este motivo evoca claramente a influência da decoração da porcelana chinesa na decoração da cerâmica ocidental, particularmente quanto a detalhes constantes das chamadas famílias rosa e verde. Apresenta ainda certas semelhanças com as diversas variantes do motivo Indian Tree, comercializado por algumas fábricas inglesas e americanas durante os séculos XIX e XX.

 

Veja-se abaixo o exemplo de um prato em porcelana produzido pela fábrica inglesa Coalport, fundada cerca de 1795 e posteriormente incorporada no célebre grupo de cristais e porcelanas Waterford Wedgwood (o qual, entretanto, declarou bancarrota em 2009), com o motivo Indian Tree estampado e pintado à mão.

 

 

A marca C&W aqui apresentada corresponde ao período 1912-1936, embora este motivo seja também conhecido em peças do período 1904-1912, como se pode constatar na terrina reproduzida, sob o número 81, no catálogo Fábrica de Louça de Massarelos: 1763-1936, editado em 1998 para acompanhar a exposição homónima realizada no Museu Nacional de Soares dos Reis, no Porto.

 

Na senda de uma política de criação de conglomerados empresariais na área da cerâmica, que no Porto já havia levado à aquisição da Fábrica do Carvalhinho pela Fábrica de Loiça de Sacavém, em 1930, a Fábrica de Massarelos, administrada pela firma Chambers & Wall, veio a ser adquirida pela Companhia de Fábricas Cerâmica Lusitânia (CFCL, depois Lufapo) em 1936.

 

A CFCL, com sede em Lisboa, iniciara no princípio dessa década uma expansão consolidada nas diversas áreas da cerâmica através de grandes investimentos. Logo em 1930 havia começado a construção de um forno-túnel em Coimbra, para louça decorativa e doméstica, adquirindo em 1932 fábricas em Algoz, Montijo e Setúbal, para cerâmica de construção.

 

  

Tal como para a FLS perdurou durante décadas a indicação de 1850 como data de fundação, embora hoje haja maior consenso quanto à fixação dessa data em 1856 (ou, eventualmente, 1859), também para a Fábrica de Massarelos se registou durante décadas a data de 1738 como a correspondente à sua fundação.

 

Tal como a FLS, também a fábrica de Massarelos fez registar essa data mais recuada nos painéis de azulejo das fachadas de alguns dos seus edifícios. Hoje, contudo, aponta-se com maior consenso para a data de 1763 como sendo a de efectiva fundação da fábrica, por iniciativa de Manuel Duarte Silva (1724-1777).

 

Para obtenção de mais dados sobre a história, o funcionamento e as características desta fábrica, consultem-se quer o anteriormente referido Itinerário da Faiança do Porto e Gaia (2001) quer o mais exaustivo, e agora referido, catálogo monográfico Fábrica de Louça de Massarelos: 1763-1936 (1998).

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Janeiro 30 2010

 

Prato fundo (de sopa) da Fábrica de Massarelos, estampado com o motivo Estátua. 

 

Conforme referido e ilustrado anteriormente, em Portugal a estampagem do motivo Estátua não foi exclusiva da FLS. Aqui se reproduz um prato de uma fábrica do Porto que não só apresenta o motivo como ainda indicia a origem importada do mesmo, ao manter a designação, Statue, em Inglês.

 

Segundo o catálogo Fábrica de Louça de Massarelos: 1763-1936, editado em 1998 para acompanhar a exposição homónima realizada no Museu Nacional de Soares dos Reis, no Porto, a marca C&W aqui apresentada corresponde ao período 1912-1936.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

mais sobre mim
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

pesquisar