Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Setembro 01 2012

 

Pequenas figuras de esquiadores, em porcelana da Electro-Cerâmica do Candal, decoradas com esmalte policromado e complementos a dourado sobre o vidrado.


Estas pequenas figuras, com cerca de 9,2 x 6,8 x 4,6 cm., acabaram por tornar-se características da produção do Candal embora a sua imagem esteja estreitamente ligada a modelos importados, como os da fábrica alemã Hümmel (http://mfls.blogs.sapo.pt/88777.html), e outras fábricas portuguesas, como a VA, tenham comercializado linhas semelhantes.


Destes exemplares apenas o que está decorado a azul apresenta marca estampada sobre o vidrado, tal como se pode ver abaixo, ostentando ambos a referência E8, de formato, e a marca EC impressas na pasta.


Embora se conheçam diversas peças semelhantes a estas, incluindo outras com diferentes cores, como o verde, o seu preço actual tende a ser injustificadamente especulativo e exorbitante, algo que ultimamente tem acontecido com muitas das peças decorativas do Candal, em particular nas lojas e feiras de antiguidades do norte do país. 

 

 

Numa carta manuscrita, datada de 22 de Novembro de 1920 e dirigida a um outro responsável dessa fábrica, carta que se encontra no arquivo particular de Carlos Bobone (n. 1962), o administrador delegado da Vista Alegre, João Teodoro Ferreira Pinto Basto (1870-1953) sublinha: " (...) Temos que ser commerciaes e não afugentar os clientes que tem serviços nossos – Devemo-nos lembrar que a Ceramica de Gaia [Candal] vae fazer serviços. (...)"


Efectivamente, embora tenha começado pelo ramo da porcelana para fins eléctricos e industriais, a Empresa Electro-Cerâmica do Candal não só veio a produzir com sucesso serviços de mesa como também inúmeras outras peças utilitárias e decorativas, particularmente jarras e pequenos bibelots representando animais ou figuras como estas.


Tal como referido anteriormente (http://mfls.blogs.sapo.pt/62574.html), esta empresa acabou por integrar-se em definitivo no grupo Vista Alegre a partir do ano de 1945, permanecendo a ele ligada até ao ano de 2001.


Sobre a actual realidade do espaço e do património da EC veja-se: http://www.candalparque.pt/index.html.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 09:01

mais sobre mim
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

pesquisar