Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Dezembro 28 2013

 

Conjunto de três peças assinadas HC, iniciais que correspondem a Henri Chaumeil (1877-1944).

 

Conforme já foi referido no ano passado (http://mfls.blogs.sapo.pt/212282.html), a partir da década de 1920 Henri contou com a colaboração do seu filho Paul (1902-1984) na produção cerâmica da empresa. 

 

A jarra decorada com flores estilizadas ao gosto Art Déco, que tem cerca de 18,2 cm. de altura, ilustra a técnica de corda seca, para separar as cores e destacar o motivo do fundo craquelé, característica que não surgia na peça apresentada anteriormente.

 

 

Por sua vez, o prato reproduzido acima apresenta uma decoração revivalista de inspiração medieval, revivalismo que já vinha do século XIX e posteriormente passou a ser genericamente designado por Historismus nalguns países da Europa central, combinando a aplicação de barbotina na superficie da peça com um intervenção esgrafitada.

 

Curiosamente, a aplicação espiralada da barbotina evoca motivos característicos de alguma decoração cerâmica oriental, criando assim uma inusitada combinação de diferentes influências culturais numa única peça.

 

 

A última peça da produção Chaumeil patente nesta pequena entrada, a taça ilustrada acima, que tem cerca de 8,9 cm. de altura e 18,7 cm. de diâmetro máximo, mostra já um contido e minimalista motivo floral de inspiração Art Déco pintado sobre o craquelé, quase não apresentando qualquer relevo perceptível ao tacto, tal como acontecia com a peça apresentada no ano passado.

 

          

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 00:01

Dezembro 30 2012

 

 

Jarra em faiança, com cerca de 26,6 cm. de altura, apresentando efeito craquelé induzido e assinatura correspondente ao monograma de Henri Chaumeil (1877-1944).

 

Antes da I Grande Guerra (1914-1918), Chaumeil exibiu no Salon des Artistes Indépendants, tendo depois do conflito participado no Salon d'Automne e no Salon des Artistes Décorateurs.

 

Contudo, foi a partir da década de 1920, já com a colaboração do seu filho Paul (1902-1984), que as criações cerâmicas de Henri Chaumeil se vieram a consagrar, chegando a ser comercializadas na famosa galeria Rouard, situada na avenue de l’Opéra, em Paris.

 

A imagem de marca de Chaumeil, dentro da gramática Art Déco, foi a cerâmica com motivos estilizados, de bagas ou flores, aplicados sobre acabamento craquelé, conhecendo-se, no entanto, exemplares com motivos de inspiração medieval executados com a técnica de sgraffito.

 

Ao contrário do que acontece com diversas outras peças Art Déco de Chaumeil, cuja técnica de corda seca, para separar as cores e destacar a decoração do fundo craquelé, remete para a produção da fábrica belga Boch Frères / Keramis e da fábrica francesa Longwy, o motivo decorativo desta jarra foi pintado sobre o craquelé e quase não apresenta qualquer relevo perceptível ao tacto.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 00:01

mais sobre mim
Maio 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18

20
21
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar