Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Junho 17 2011

 

Chávena e pires, do período final da FLS, com decoração estampada sobre o vidrado.

 

Na sequência do anterior artigo sobre a cor puce (http://mfls.blogs.sapo.pt/109172.html), note-se como as suas diversas tonalidades foram sendo recorrentemente utilizadas nas artes decorativas, tendo um dos útimos revivalismos ocorrido durante as décadas de 1960 e 1970.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

Junho 15 2011

   

 

A propósito do motivo Estátua (popularmente conhecido como Cavalinho) reproduziu-se aqui, há cerca de um ano, um prato da fábrica C. & J. Shaw, de Inglaterra (cf. http://mfls.blogs.sapo.pt/53402.html), estampado num tom designado como puce, em inglês.

 

Colocadas perante esta cor, em Portugal, as pessoas, na sua maioria, recorreriam ao termo violeta, claro ou escuro, para a classificar, o que parece redutor se atendermos às inúmeras designações das variantes cromáticas que surgem na língua inglesa (http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_colors).

 

Tal preocupação é irrelevante se considerarmos que, hoje em dia, o termo puce é praticamente um arcaísmo, aplicado em inglês quase exclusivamente nas designações ligadas à decoração cerâmica ou nos restritos círculos dos fashion districts.

 

Mas será interessante constatarmos que estas tonalidades de puce traduzem o gosto de uma época.

 

Para ilustrar algumas das tonalidades abrangidas pela designação puce, mostra-se aqui uma rara jarra em porcelana Derby, do período Duesbury (1756-1811; William Duesbury I, 1725-1786, William Duesbury II, 1763-1797, William Duesbury III, 1790-?), produzida no último quartel do século XVIII.

 

A paisagem reproduzida, intitulada View in Westmoreland, do condado inglês homónimo, terá sido pintada pelo mais consagrado pintor paisagista da fábrica, Zachariah Boreman (1736-1810), sendo George Robertson (1776?-1833) e John Brewer (1764-1816) outros pintores conhecidos nessa área temática.

 

            

 

As tonalidades que envolvem a moldura dourada da paisagem são também características da decoração de algumas fábricas inglesas da segunda metade do século XVIII, como a Longton Hall (activa entre 1749 e 1760), que utilizava uma variante conhecida como crimson puce, e a Chelsea (1745-1769), adquirida pela Derby em 1770. Desta última transitou Zachariah Boreman para a Derby.

 

Outras variantes destas tonalidades surgiam ainda em diversas fábricas alemãs da época, tais como Frankenthal, Fulda, Fürstenberg, Höchst, Ludwigsburg e Nynphenburg, podendo portanto concluir-se serem estas tonalidades características da segunda metade desse século.

 

Aliás, quanto a outras cores que traduzem o gosto de uma época, sabe-se também como a preferência pelo azul na loiça estampada inglesa de finais do século XVIII e do século XIX é uma clara evocação do glamour e do prestígio da porcelana oriental decorada a azul, facto que esteve também na origem do desenvolvimento da decoração de porcelana a azul cobalto, um azul homogéneo e profundo, aperfeiçoado e celebrizado pela fábrica francesa de Sèvres.

 

Azul esse que a própria Fábrica de Loiça de Sacavém veio a reproduzir já no século XX, denominando-o precisamente como azul de Sèvres. 

 

 

No entanto, nem sempre as tonalidades aplicadas nas artes decorativas traduzem l'air du temps, permitindo uma datação mais ou menos precisa das peças por esse método indirecto.

 

Acontece assim com estas duas peças em vidro opalino, provavelmente de fabricação francesa, decorado com esmalte em tons de puce já no século XIX, durante o período de transição do estilo Império para o Historismus. Aqui, no entanto, poder-se-ia já falar de púrpura e do implícito estatuto e prestígio dessa cor nos impérios da antiguidade clássica e no consulado napoleónico.

 

Acontece assim também com os tons alaranjados da terracota utilizados em feéricas decorações do período Art Déco, mas já anteriormente utilizados na decoração neoclássica de fábricas estrangeiras e nacionais, como, num período mais tardio, a Vista Alegre.

 

Acontece ainda o mesmo com o célebre rosa Pompadour, de Sèvres, criado no século XVIII para homenagear a marquesa Jeanne Antoinette Poisson (1721-1764), madame de Pompadour, mas que veio a ser utilizado com frequência já no final do século XIX, quer em peças da própria Royal Crown Derby quer da Wedgwood, como se constatará num posterior artigo.

 

Veja-se a página da empresa Royal Crown Derby em: http://www.royalcrownderby.co.uk/.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 21:01

mais sobre mim
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

pesquisar
 
subscrever feeds