Memórias e Arquivos da Fábrica de Loiça de Sacavém

Dezembro 28 2014

Prato em faiança esgrafitada, com cerca de 28 cm. de diâmetro, produzido na fábrica sueca Gustafsberg.

 

Este exemplar, datado de 1911, foi concebido pelo consagrado director artístico Josef Ekberg (1877-1945), que favoreceu a técnica de sgraffito e estes tons azulados na maioria das suas peças das décadas de 1900 e 1910.

 

Vejam-se outras referências à Gustavsberg, e mais algumas peças, aqui: http://mfls.blogs.sapo.pt/tag/gustavsberg.

 

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 00:01

Janeiro 03 2014

 

Fundada em 1726, na Suécia, a fábrica Rörstrand tornou-se particularmente célebre durante o final do século XIX e o princípio do século XX através da sua produção de peças modeladas e decoradas ao estilo Art Nouveau.

 

A estilização floral Art Nouveau foi sublinhada pela fábrica através da técnica pâte-sur-pâte, que permite um tratamento escultural das peças através da adição de porcelana em camadas, contribuindo assim para o aspecto tridimensional da decoração.

 

Depois de um percurso relativamente discreto durante o período Art Déco, a fábrica voltou a projectar-se internacionalmente com o modernismo escandinavo dos anos 40 e 50, movimento para o qual contribuiu com ceramistas e peças de notável qualidade.

 

 

A primeira jarra apresentada é em faiança, mede cerca de 28,2 cm. de altura, e terá sido provavelmente modelada por Alf Wallander (1862-1914), durante o final do século XIX.

 

Conhece-se uma jarra deste modelo, com decoração marmoreada e assinatura de Thure Öberg (1871-1935), marcada como tendo sido produzida na fábrica Arabia, Finlândia.

 

Proveniente da fábrica Rörstrand, Öberg chegou em 1896 à Arabia como director técnico, cargo que veio a desempenhar até 1932.

 

 

 

A segunda jarra, já em porcelana e com cerca de 13,8 cm. de altura, foi modelada e decorada por artistas não identificados, no período que decorreu entre 1897 e 1910.

 

A terceira, também em porcelana e com cerca de 16 cm. de altura, apresenta um tratamento pâte-sur-pâte, tendo sido modelada por Ruben Rising (1869-1929) e decorada por Astrid Ewerlöf (1876-1927) entre 1900 e 1910.

 

A identificação destes autores fez-se através das iniciais "RR", impressas na pasta, e da inicial ".E." pintada sobre a marca da fábrica. A anterior jarra em porcelana também apresenta iniciais impressas na pasta (A?), mas estas não são suficientemente legíveis para permitir identificar o/a modelador/a.

 

 

A última peça representa um lúcio, com cerca de 4,4 cm. de altura e 28,4 cm. de comprimento, produzido provavelmente no terceiro quartel do século XX, apresentando múltiplo acabamento vidrado mate, que inclui ainda pequenas manchas rugosas minuciosamente produzidas com óxidos de metal.

  

               

 

© MAFLS

publicado por blogdaruanove às 00:01

mais sobre mim
Abril 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


pesquisar
 
subscrever feeds